jusbrasil.com.br
19 de Junho de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 1898937 RS 2020/0259115-4

Superior Tribunal de Justiça
mês passado
Detalhes da Jurisprudência
Processo
REsp 1898937 RS 2020/0259115-4
Publicação
DJ 13/05/2021
Relator
Ministro BENEDITO GONÇALVES
Documentos anexos
Decisão MonocráticaSTJ_RESP_1898937_87f47.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

RECURSO ESPECIAL Nº 1898937 - RS (2020/0259115-4) DECISÃO Trata-se de recurso especial interposto com fundamento no artigo 105, III, a e c, da Constituição Federal, contra acórdão proferido pelo TRF da 4ª Região, assim ementado (fl. 379): EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. DECISÃO EXTRA PETITA. RECONHECIMENTO. INTEGRAÇÃO DO JULGADO. APROVEITAMENTO DE CRÉDITOS DE PIS/COFINS. PRODUTOS DE HIGIENE PESSOAL E COSMÉTICOS. EXCEÇÃO AO PRINCÍPIO DA NÃO CUMULATIVIDADE. NÃO CARACTERIZADO COMO INSUMO. COMPENSAÇÃO DE CRÉDITO. IMPOSSIBILIDADE. ARTIGO 17 DA LEI N.º 10.003/2004. EXTENSÃO DO BENEFÍCIO. INVIABILIDADE. EMBARGOS DA UNIÃO. NÃO CONHECIMENTO. [...] Os embargos de declaração foram rejeitados, conforme fls. 409-415. O recorrente alega violação do art. 17 da Lei nº 11.033/2004, ao art. 16 da Lei nº 11.116/05 e ao art. , § 1º, da LICC, além de dissidio jurisprudencial; defendendo, em síntese, o seu direito ao creditamento do PIS/COFINS nas hipóteses em que a venda dos produtos ocorra com tributação à alíquota zero e sob o regime monofásico. Com contrarrazões . Juízo positivo de admissibilidade à fl. 519-520. Parecer do MPF sem manifestação quanto ao mérito. É o relatório. Passo a decidir. Cinge-se a controvérsia em definir se a parte contribuinte, na condição de empresa integrante da cadeia sujeita ao recolhimento da contribuição para o PIS e da COFINS pela tributação monofásica, teria direito ao creditamento de referidas exações nas operações realizadas, relativamente a tais insumos. Com efeito, o atual posicionamento do STJ é no sentido de que o regime de tributação monofásica é incompatível com o direito ao creditamento das contribuições ao PIS e à COFINS. Nesse sentido: TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. PIS E COFINS. ART. 17 DA LEI 11.033/2004. REGIME MONOFÁSICO. CREDITAMENTO. IMPOSSIBILIDADE. 1. O Tribunal a quo, ao analisar a controvérsia, consignou: "Posteriormente, a Segunda Turma, ao julgar o REsp 1.267.003/RS, decidiu rever sua orientação quanto ao segundo fundamento, passando a entender que o art. 17 da Lei 11.033/04 não teria aplicação exclusiva ao Regime Tributário para o Incentivo à Modernização e à Ampliação da Estrutura Portuária - REPORTO. Nesse mesmo precedente, compreendeu-se, também, não ser possível o aproveitamento de créditos pela incompatibilidade de regimes - a tributação monofásica, com alíquota concentrada na atividade de venda, não permite o creditamento pelo revendedor das referidas contribuições incidentes sobre as receitas do vendedor por estarem fora do Regime de Incidência Não -Cumulativo - e pela especialidade de normas, haja vista que a inserção em Regime Especial de Tributação Monofásica afasta a aplicação da regra gral do art. 17 da Lei 11.033/20 04 e do art. 16 da Lei 11.116/2005, e por especialidade, chama a incidência do art. , I, b da Lei 10.637/2002 e da . (...) Feitas essas considerações, filio-me ao entendimento Lei 10.833/2003, que vedam o creditamento de que a técnica do creditamento é incompatível com a incidência monofásica do tributo porque não há cumulatividade. Inaplicável, portanto, à impetrante, por incompatibilidade de regimes e por especialidade de suas normas, o disposto nos artigos 17, da Lei 11.033/2004, e 16, da Lei 11.116/2005, cujo âmbito de incidência se restringe ao regime não-cumulativo." 2. O entendimento alhures encontra-se pacificado na jurisprudência da Segunda Turma do STJ, segundo o qual o regime de tributação monofásica é incompatível com o direito ao creditamento das contribuições ao PIS e à COFINS. 3. Recurso Especial não provido (REsp 1.806.338/MG, Rel. Ministro HERMAN BENJAMIN, SEGUNDA TURMA, DJe 11/10/2019, grifo nosso). Ante o exposto, nego provimento ao recurso especial. Publique-se. Intimem-se. Brasília, 11 de maio de 2021. Ministro Benedito Gonçalves Relator
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1207054524/recurso-especial-resp-1898937-rs-2020-0259115-4

Mais do Jusbrasil

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 8 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 1267003 RS 2011/0168905-3

RECURSO ESPECIAL. TRIBUTÁRIO. PIS/PASEP E COFINS. CREDITAMENTO. ART. 17 DA LEI 11.033/2004, C/C ART. 16, DA LEI N. 11.116/2005. INCIDÊNCIA QUE NÃO SE RESTRINGE AO REPORTO. NECESSIDADE DE REVISÃO DA JURISPRUDÊNCIA DO STJ QUANTO AO PONTO. REGIME DE INCIDÊNCIA MONOFÁSICA DAS CONTRIBUIÇÕES AO PIS/PASEP E COFINS. REGIME …
Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 meses

Superior Tribunal de Justiça STJ - EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM RESP : EREsp 1806338 MG 2019/0051843-1

EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM RESP Nº 1806338 - MG (2019/0051843-1) DECISAO Vistos. Trata-se de Embargos de Divergência interpostos por ADIÇAO DISTRIBUIÇAO EXPRESS LTDA., com base nos arts. 1.043 do CPC/2015, e 266 do Regimento Interno desta Corte, contra acórdão proferido pela 2ª Turma, assim ementado (fls. 914/921e): …
Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 0030663-32.2008.4.01.3800 MG 2019/0051843-1

TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. PIS E COFINS. ART. 17 DA LEI 11.033/2004. REGIME MONOFÁSICO. CREDITAMENTO. IMPOSSIBILIDADE. 1. O Tribunal a quo, ao analisar a controvérsia, consignou: "Posteriormente, a Segunda Turma, ao julgar o REsp 1.267.003/RS, decidiu rever sua orientação quanto ao segundo fundamento, passando a …