jusbrasil.com.br
9 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL: AgRg no REsp XXXXX PR 2009/XXXXX-0

Superior Tribunal de Justiça
há 12 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

T1 - PRIMEIRA TURMA

Publicação

Julgamento

Relator

Ministro BENEDITO GONÇALVES

Documentos anexos

Inteiro TeorAGRG-RESP_1157093_PR_1287083472914.pdf
Certidão de JulgamentoAGRG-RESP_1157093_PR_1290251382171.pdf
Relatório e VotoAGRG-RESP_1157093_PR_1290251382170.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AGRAVOS REGIMENTAIS NO RECURSO ESPECIAL. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO. FALHA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. JUROS DE MORA. Agravo Regimental do Estado do Paraná:

1. Esta Corte de Justiça tem firme posicionamento no sentido de que, tratando-se de fato gerador que se protrai no tempo, a definição legal dos juros de mora deve observância ao princípio do direito intertemporal segundo o qual tempus regit actum.
2. Sendo assim, os juros de mora hão de ser calculados a partir do evento danoso (súmula 54/STJ)à taxa de 0,5% ao mês (art. 1.062 do CC/1916) até a entrada em vigor do Código Civil de 2002, quando então deverão observar a taxa que estiver em vigor para a mora no pagamento de impostos devidos à Fazenda Nacional (artigo 406 do CC/2002), ou seja, a Selic.
3. Agravo regimental parcialmente provido tão somente para fixar em 0.5% ao mês a taxa de juros moratórios para o período entre o evento danoso (08.09.2002) e a entrada em vigor do Novo Código Civil. Agravo Regimental da União: 1. O Superior Tribunal de Justiça já assentou que a alteração do texto do art. 1º-F da Lei nº 9.494/97, conferida pela Lei 11.960/09, não pode ser aplicada aos feitos em curso, já que se trata de norma de natureza instrumental e material. Precedentes: REsp 1.124.471/RJ, Rel. Min. Luiz Fux, Primeira Turma, DJe 01/07/2010; REsp XXXXX/MT, Rel. Min. Herman Benjamin, Segunda Turma, DJe 01/07/2010. 2. Agravo regimental não provido.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Ministros da Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, dar parcial provimento ao agravo regimental do Estado do Paraná e negar provimento ao da União, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Hamilton Carvalhido, Luiz Fux, Teori Albino Zavascki e Arnaldo Esteves Lima votaram com o Sr. Ministro Relator.

Veja

  • ARTIGO 1º-F DA LEI 9.494/1997
    • STJ - AGRG NO AG 1102293 -SP, AGRG NOS EDCL NO RESP 1136266 -SP, AGRG NO RESP 1166267 -SP
  • JUROS DE MORA - EVENTO DANOSO
    • STJ - RESP 1124471 -RJ, RESP 1125195 -MT
  • ARTIGO 1º-F DA LEI 9.494/1997
    • STJ - AGRG NO AG 1102293 -SP, AGRG NOS EDCL NO RESP 1136266 -SP, AGRG NO RESP 1166267 -SP
  • ARTIGO 1º-F DA LEI 9.494/1997
    • STJ - AGRG NO AG 1102293 -SP, AGRG NOS EDCL NO RESP 1136266 -SP, AGRG NO RESP 1166267 -SP

Referências Legislativas

Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/16681490/agravo-regimental-no-recurso-especial-agrg-no-resp-1157093-pr-2009-0161890-0

Informações relacionadas

Letícia Cardeal, Bacharel em Direito
Artigoshá 9 meses

Tempo Rege o Ato

Tribunal de Justiça de Rondônia TJ-RO - Recurso Inominado: RI XXXXX-74.2014.822.0601 RO XXXXX-74.2014.822.0601

Pedro Rudi, Advogado
Artigoshá 7 anos

Tempus Regit Actum

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 12 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX RJ 2009/XXXXX-1

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 12 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX MT 2009/XXXXX-1