jusbrasil.com.br
25 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp 866371 RS 2006/0063448-5

Superior Tribunal de Justiça
há 10 anos
Detalhes da Jurisprudência
Processo
REsp 866371 RS 2006/0063448-5
Órgão Julgador
T4 - QUARTA TURMA
Publicação
DJe 20/08/2012
Julgamento
27 de Março de 2012
Relator
Ministro RAUL ARAÚJO
Documentos anexos
Inteiro TeorRESP_866371_RS_1345593291138.pdf
Certidão de JulgamentoRESP_866371_RS_1345593291140.pdf
Relatório e VotoRESP_866371_RS_1345593291139.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. CONSUMIDOR. CIVIL.RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA DAS OPERADORAS DE PLANO DE SAÚDE. ERROMÉDICO. DEFEITO NA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO. DANO MORAL RECONHECIDO.VALOR DA INDENIZAÇÃO. MAJORAÇÃO. RECURSO PROVIDO.

1. Se o contrato for fundado na livre escolha pelobeneficiário/segurado de médicos e hospitais com reembolso dasdespesas no limite da apólice, conforme ocorre, em regra, noschamados seguros-saúde, não se poderá falar em responsabilidade daseguradora pela má prestação do serviço, na medida em que a eleiçãodos médicos ou hospitais aqui é feita pelo próprio paciente ou porpessoa de sua confiança, sem indicação de profissionais credenciadosou diretamente vinculados à referida seguradora. A responsabilidadeserá direta do médico e/ou hospital, se for o caso.
2. Se o contrato é fundado na prestação de serviços médicos ehospitalares próprios e/ou credenciados, no qual a operadora deplano de saúde mantém hospitais e emprega médicos ou indica um rolde conveniados, não há como afastar sua responsabilidade solidáriapela má prestação do serviço.
3. A operadora do plano de saúde, na condição de fornecedora deserviço, responde perante o consumidor pelos defeitos em suaprestação, seja quando os fornece por meio de hospital próprio emédicos contratados ou por meio de médicos e hospitais credenciados,nos termos dos arts. , , 14 e 34 do Código de Defesa doConsumidor, art. 1.521, III, do Código Civil de 1916 e art. 932,III, do Código Civil de 2002. Essa responsabilidade é objetiva esolidária em relação ao consumidor, mas, na relação interna,respondem o hospital, o médico e a operadora do plano de saúde noslimites da sua culpa.
4. Tendo em vista as peculiaridades do caso, entende-se devida aalteração do montante indenizatório, com a devida incidência decorreção monetária e juros moratórios.

Acórdão

Vistos e relatados estes autos, em que são partes as acima indicadas, decide a Quarta Turma, por unanimidade, dar provimento ao recurso especial, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Maria Isabel Gallotti, Antonio Carlos Ferreira e Luis Felipe Salomão votaram com o Sr. Ministro Relator. Ausente, justificadamente, o Sr. Ministro Marco Buzzi.
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/22100143/recurso-especial-resp-866371-rs-2006-0063448-5-stj

Informações relacionadas

Laís Sumida, Advogado
Artigoshá 6 anos

Responsabilidade civil dos planos de saúde

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp 866371 RS 2006/0063448-5

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO INTERNO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AgInt no AREsp 1414776 SP 2018/0329235-7