jusbrasil.com.br
28 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 1288251 MG 2011/0250287-8

Superior Tribunal de Justiça
há 9 anos
Detalhes da Jurisprudência
Processo
REsp 1288251 MG 2011/0250287-8
Órgão Julgador
T3 - TERCEIRA TURMA
Publicação
DJe 16/10/2012
Julgamento
9 de Outubro de 2012
Relator
Ministro SIDNEI BENETI
Documentos anexos
Inteiro TeorRESP_1288251_MG_1352022146389.pdf
Certidão de JulgamentoRESP_1288251_MG_1352022146391.pdf
Relatório e VotoRESP_1288251_MG_1352022146390.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. ARBITRAGEM. ACORDO OPTANDO PELAARBITRAGEM HOMOLOGADO EM JUÍZO. PRETENSÃO ANULATÓRIA. COMPETÊNCIADO JUÍZO ARBITRAL. INADMISSIBILIDADE DA JUDICIALIZAÇÃO PREMATURA.

1.- Nos termos do artigo , parágrafo único, da Lei de Arbitragem aalegação de nulidade da cláusula arbitral instituída em AcordoJudicial homologado e, bem assim, do contrato que a contém, deve sersubmetida, em primeiro lugar, à decisão do próprio árbitro,inadmissível a judicialização prematura pela via oblíqua do retornoao Juízo.
2.- Mesmo no caso de o acordo de vontades no qual estabelecida acláusula arbitral no caso de haver sido homologado judicialmente,não se admite prematura ação anulatória diretamente perante o PoderJudiciário, devendo ser preservada a solução arbitral, sob pena dese abrir caminho para a frustração do instrumento alternativo desolução da controvérsia.
3.- Extingue-se, sem julgamento do mérito (CPC, art. 267, VII), açãoque visa anular acordo de solução de controvérsias via arbitragem,preservando-se a jurisdição arbitral consensual para o julgamentodas controvérsias entre as partes, ante a opção das partes pelaforma alternativa de jurisdição.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, negar provimento ao recurso especial, nos termos do voto do (a) Sr (a). Ministro (a) Relator (a). Os Srs. Ministros Paulo de Tarso Sanseverino, Ricardo Villas Bôas Cueva, Nancy Andrighi e Massami Uyeda votaram com o Sr. Ministro Relator. Dr (a). ARIENE D' ARC DINIZ E AMARAL, pela parte RECORRIDA: SAMARCO MINERAÇÃO S/A
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/22583340/recurso-especial-resp-1288251-mg-2011-0250287-8-stj

Informações relacionadas

Doutrina2014 Editora Revista dos Tribunais

Análise doutrinária - Capítulo 7 - Cláusula de arbitragem

Doutrina2014 Editora Revista dos Tribunais

Juristendência - Capítulo 7 - Cláusula de arbitragem

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 1288251 MG 2011/0250287-8