jusbrasil.com.br
19 de Outubro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AgRg no AREsp 0002956-87.2010.8.17.0810 PE 2013/0328744-1

Superior Tribunal de Justiça
há 8 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
T1 - PRIMEIRA TURMA
Publicação
DJe 18/02/2014
Julgamento
11 de Fevereiro de 2014
Relator
Ministro SÉRGIO KUKINA
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ENERGIA ELÉTRICA. ALEGAÇÕES GENÉRICAS DE VIOLAÇÃO AOS DISPOSITIVOS LEGAIS. FUNDAMENTAÇÃO DEFICIENTE. SÚMULA 284/STF. AÇÃO DE COBRANÇA. DÉBITO DE TERCEIRO. OBRIGAÇÃO DE NATUREZA PESSOAL. RESPONSABILIDADE DO CONSUMIDOR QUE EFETIVAMENTE UTILIZOU O SERVIÇO.

1. O recurso especial não pode ser conhecido no tocante à alegada ofensa à Resolução ANEEL 456/00. Isso porque o referido ato normativo não se enquadra no conceito de "tratado ou lei federal" de que cuida o art. 105, III, a, da CF.
2. A mera indicação dos dispositivos legais tidos por violados, sem que haja demonstração clara e objetiva de como o acórdão recorrido teria malferido a legislação federal, não enseja a abertura da via especial, devendo a parte recorrente demonstrar os motivos de sua insurgência, o que não ocorreu no caso em exame. Hipótese em que incide a Súmula 284/STF, por deficiência na fundamentação.
3. De acordo com a jurisprudência desta Corte, o débito relativo ao serviço de fornecimento de energia elétrica é de natureza pessoal, não se vinculando à titularidade do imóvel. Assim, não pode o atual usuário do serviço ou o proprietário do imóvel ser responsabilizado por débitos do consumidor que efetivamente utilizou o serviço.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos estes autos, acordam os Ministros da PRIMEIRA TURMA do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, negar provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Ari Pargendler, Arnaldo Esteves Lima, Napoleão Nunes Maia Filho (Presidente) e Benedito Gonçalves votaram com o Sr. Ministro Relator.
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/24920972/agravo-regimental-no-agravo-em-recurso-especial-agrg-no-aresp-401883-pe-2013-0328744-1-stj

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 8 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AREsp 0002956-87.2010.8.17.0810 PE 2013/0328744-1

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 401.883 - PE (2013/0328744-1) RELATOR : MINISTRO SÉRGIO KUKINA AGRAVANTE : COMPANHIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO ADVOGADOS : ERIK LIMONGI SIAL AMANDA ISRAELA DE FREITAS E OUTRO(S) AGRAVADO : CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO GOLDEN BEACH ADVOGADO : ANDRÉ RICARDO CAMPÊLO DA SILVA DECISAO Trata-se de agravo …
Jurisprudênciahá 9 anos

Tribunal de Justiça de Pernambuco TJ-PE - Embargos de Declaração : ED 0023005-86.2012.8.17.0000 PE 0023005-86.2012.8.17.0000

EMBARGOS DECLARATÓRIOS POR OMISSÃO C/C EFEITOS PREQUESTIONATÁRIOS, EM SEDE DE RECURSO DE AGRAVO. DIREITO PROCESSUAL CIVIL. O TRIBUNAL EXAMINOU DEVIDAMENTE O RECURSO DE AGRAVO INTERPOSTO, REFERENTE À APELAÇÃO Nº 0284827-5 E À APELAÇÃO Nº 0284831-9. NA ORIGEM JULGAMENTO SIMULTÂNEO NOS AUTOS DA MEDIDA CAUTELAR PARA …
Jurisprudênciahá 9 anos

Tribunal de Justiça de Pernambuco TJ-PE - Agravo : AGV 0020561-80.2012.8.17.0000 PE 0020561-80.2012.8.17.0000

RECURSO DE AGRAVO EM RECURSO DE APELAÇÃO. DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. JULGAMENTO SIMULTÂNEO NOS AUTOS DA MEDIDA CAUTELAR PARA FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA E AÇÃO ORDINÁRIA DE DESCONSTITUIÇÃO DE DÉBITO. NA ORIGEM, O JUÍZO DE PISO JULGOU PARCIALMENTE PROCEDENTES OS PEDIDOS FORMULADOS NA AÇÃO PRINCIPAL PARA …