jusbrasil.com.br
20 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça
há 4 anos
Detalhes da Jurisprudência
Publicação
DJ 14/11/2017
Relator
Ministro BENEDITO GONÇALVES
Documentos anexos
Decisão MonocráticaSTJ_RESP_1549661_09b96.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão Monocrática

Superior Tribunal de Justiça

RECURSO ESPECIAL Nº 1.549.661 - SC (2015/0203323-8)

RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES

RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

RECORRIDO : CACILDA SMIELVSKI

RECORRIDO : DENIS DOUGLAS PERICO

RECORRIDO : JORGE JOSE GRACIANO

RECORRIDO : ANTONIO CARLOS DE PELLEGRIN

RECORRIDO : MARIA INES DE PELLEGRIN

ADVOGADO : ALEXANDRE BARCELOS JOÃO E OUTRO(S) - SC015418

INTERES. : ALTERMED MATERIAL MEDICO HOSPITALAR LTDA

INTERES. : ANACLETO FERRARI

INTERES. : ILIZENI INES VOLTOLINI FERRARI

INTERES. : INDAMEDI COM E REPRES DE MAT MEDICO HOSPITALARES

LTDA - ME

INTERES. : PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA RUSZCZAK

INTERES. : NOELI FERRARI PEREIRA

EMENTA

ADMINISTRATIVO. RECURSO ESPECIAL. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. ART. 10, VIII, DA LEI 8.429/92. DESNECESSIDADE DE DEMONSTRAÇÃO DE EFETIVO PREJUÍZO. DANO IN RE IPSA À ADMINISTRAÇÃO. PRECEDENTES. RECURSO ESPECIAL PROVIDO.

DECISÃO

Trata-se de recurso especial interposto com fulcro no art. 105, III, "a", da CF/88 contra acórdão assim ementado (fl. 2.762):

ADMINISTRATIVO. IMPROBIDADE. LICITAÇÃO. APLICAÇÃO DE RECURSOS DECORRENTES DE CONVÊNIO COM A UNIÃO. MUNICÍPIO DE MORRO DA FUMAÇA/SC. ARTIGOS 10 E 11 DA LEI 8.429/92. FALTA DE PROVAS. DOLO.

1. O enquadramento de condutas no art. 11 da Lei nº 8.429/92 requer a constatação do elemento subjetivo doloso do agente, em sua modalidade genérica. Ausente qualquer indício de conduta dolosa dos réus, é de se julgar improcedente o pedido.

2. Também não restou caracterizada ofensa ao art. 10, VIII, da Lei de Improbidade Administrativa. Extrai-se do próprio parecer emanado do corpo técnico do Ministério Público Federal a conclusão quanto à ausência de elementos que indicassem a presença de dano, o que, inequivocamente, impõe a improcedência da pretensão com fulcro em tal dispositivo.

3. Improvimento do apelo.

Os embargos de declaração foi admitido para fins de prequestionamento, conforme fls. 2.812-2.817.

No apelo especial (e-STJ fls. 2.821-2.835), o parquet insurge-se contra a decisão do Tribunal de origem que entendeu pela não ocorrência de ato improbo previsto no art. 10, VIII, da Lei 8.429/92, em razão de não ter sido demonstrado prejuízo ao erário.

Sem Contrarrazões.

Parecer do MPF às fls. 2.917-2.922, pelo provimento do recurso.

É o relatório. Passo a decidir.

Merece prosperar a pretensão do Recorrente.

Superior Tribunal de Justiça

O acórdão recorrido encontra-se em divergência com a jurisprudência do STJ.

No tocante a conduta do art. 10, VIII, da Lei 8.429/92, o Superior Tribunal de Justiça possui jurisprudência no sentido de que tal conduta por impedir que a administração pública contrate a melhor proposta, causa dano in re ipsa, descabendo exigir do autor da ação prova a respeito do tema.

Nesse sentido:

ADMINISTRATIVO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. DISPENSA INDEVIDA DE LICITAÇÃO. ART. 10, VIII, DA LEI 8.429/92. ACÓRDÃO QUE, EM FACE DOS ELEMENTOS DE PROVA DOS ATOS, CONCLUIU PELA COMPROVAÇÃO DO ELEMENTO SUBJETIVO E PELA CONFIGURAÇÃO DE ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. SÚMULA 7/STJ. PREJUÍZO AO ERÁRIO, NA HIPÓTESE. DANO IN RE IPSA . PRECEDENTES DO STJ. AGRAVO REGIMENTAL IMPROVIDO.

[...]

VI. Quanto à alegada ausência de dano ao Erário, o Superior Tribunal de Justiça possui jurisprudência no sentido de que "a indevida dispensa de licitação, por impedir que a administração pública contrate a melhor proposta, causa dano in re ipsa, descabendo exigir do autor da ação civil pública prova a respeito do tema" (STJ, REsp 817.921/SP, Rel. Ministro CASTRO MEIRA, SEGUNDA TURMA, DJe de 06/12/2012). Com efeito, "a contratação de serviços advocatícios sem procedimento licitatório, quando não caracterizada situação de inexigibilidade de licitação, gera lesividade ao erário, na medida em que o Poder Público deixa de contratar a melhor proposta, dando ensejo ao chamado dano in re ipsa, decorrente da própria ilegalidade do ato praticado, conforme entendimento adotado por esta Corte. Não cabe exigir a devolução dos valores recebidos pelos serviços efetivamente prestados, ainda que decorrente de contratação ilegal, sob pena de enriquecimento ilícito da Administração Pública, circunstância que não afasta (ipso facto) as sanções típicas da suspensão dos direitos políticos e da proibição de contratar com o poder público. A vedação de restituição não desqualifica a infração inserida no art. 10, VIII, da Lei 8.429/92 como dispensa indevida de licitação. Não fica afastada a possibilidade de que o ente público praticasse desembolsos menores, na eventualidade de uma proposta mais vantajosa, se tivesse havido o processo licitatório (Lei 8.429/92 - art. 10, VIII)" (STJ, AgRg no AgRg no REsp 1.288.585/RJ, Rel. Ministro OLINDO MENEZES (Desembargador convocado do TRF/1ª Região), PRIMEIRA TURMA, DJe de 09/03/2016). Nesse mesmo sentido: STJ, AgRg no REsp 1.512.393/SP, Rel. Ministro MAURO CAMBELL MARQUES, SEGUNDA TURMA, DJe de 27/11/2015.

VII. Agravo Regimental improvido (AgRg no AREsp 617563/SP, Rel. Min. Assussete Magalhães, Segunda Turma, DJe 14/10/2016, grifo nosso ).

ADMINISTRATIVO. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. ART. 10, VIII, DA LEI N. 8.429/1992. DISPENSA INDEVIDA DE LICITAÇÃO. DANO IN RE IPSA À ADMINISTRAÇÃO. REVISÃO DAS SANÇÕES IMPOSTAS. PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE. OBSERVÂNCIA.

[...]

Superior Tribunal de Justiça

2. Segundo entendimento consolidado no âmbito das Turmas que compõem a Primeira Seção, o prejuízo decorrente da dispensa indevida de licitação é presumido (dano in re ipsa), consubstanciado na impossibilidade da contratação pela Administração da melhor proposta, não tendo o acórdão de origem se afastado de tal entendimento.

[...]

5. Agravo regimental desprovido (AgRg no REsp 1.499.706/SP, Rel. Min. Gurgel de Faria, Primeira Turma, DJe 14/03/2017, grifo nosso ).

Com efeito, o Tribunal a quo ao entender pela necessidade de efetivo prejuízo ao erário para caracterizar o ato improbo previstos no art. 10, VIII, da Lei 8.429/92, divergiu da jurisprudência desta Corte.

Ante o exposto, dou provimento ao Recurso Especial para determinar o retorno aos autos ao Tribunal a quo para nova analise, observando-se a jurisprudência do STJ.

Publique-se. Intimem-se.

Brasília (DF), 26 de outubro de 2017.

MINISTRO BENEDITO GONÇALVES

Relator

Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/520717679/recurso-especial-resp-1549661-sc-2015-0203323-8/decisao-monocratica-520717720

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 5 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AgRg no AREsp 0001066-43.2001.8.26.0337 SP 2014/0288309-0

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 5 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL : AgRg no REsp 0002159-62.2002.8.26.0642 SP 2014/0309323-3

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 9 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 817921 SP 2006/0026590-0