jusbrasil.com.br
21 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 150190

Superior Tribunal de Justiça
há 13 anos
Detalhes da Jurisprudência
Publicação
DJe 17/11/2009
Relator
Ministro JORGE MUSSI
Documentos anexos
Decisão MonocráticaHC_150190_1263079611621.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

HABEAS CORPUS Nº 150.190 - RJ (2009/0198924-9)
RELATOR : MINISTRO JORGE MUSSI
IMPETRANTE : RALPH HAGE NICOLAU RITTER VIANNA
IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
PACIENTE : MARIA LUCIA LEONE MASSOT
DECISÃO
Trata-se de habeas corpus, com pedido liminar, impetrado pelo
advogado Ralph Hage Nicolau Ritter Vianna em favor de MARIA LUCIA
LEONE MASSOT, contra acórdão da Quarta Câmara Criminal do Tribunal
de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que, julgando o HC n.
2009.059.06953, denegou a ordem, mantendo o recebimento da denúncia
nos autos da Ação Penal n. 2007.001.217508-3.
Sustenta que a paciente é alvo de constrangimento ilegal ante a
ausência de justa causa para a deflagração do referido processo, uma
vez que: i) estariam ausentes as elementares do tipo de denunciação
caluniosa, por cuja prática é acusada; ii) a proemial acusatória
fundou-se nos mesmos fatos que deram azo à Ação Penal n.
2006.001.067496-2, na qual foi condenada pelo crime de calúnia,
ainda não transitada em julgado, levando, assim, à litispendência
entre as mesmas.
Pugna, assim, pela concessão sumária da ordem, sobrestando-se a ação
penal até o julgamento de mérito do remédio constitucional,
oportunidade em que postula seu trancamento definitivo.
Instrui o pedido com os documentos de fls. 31 a 199.
É o relatório.
Embora relevantes os argumentos trazidos na inicial, mostra-se
inviável, ao menos nessa etapa, em juízo perfunctório, acolher-se a
tese de constrangimento deduzida em favor da paciente, eis que a
impetração não veio acompanhada de cópia do inteiro teor do aresto
impugnado, de onde se poderia extrair elementos que amparassem as
alegações defensivas.
Diante do exposto, indefere-se a liminar.
Solicitem-se informações pormenorizadas ao Tribunal indicado como
coator, que deverá diligenciar junto ao Juízo de primeira instância
para que traga aos autos notícias atualizadas acerca do andamento da
ação penal movida contra a paciente.
Após, encaminhem-se os autos ao Ministério Público Federal.
Publique-se e intimem-se.
Brasília (DF), 27 de outubro de 2009.
MINISTRO JORGE MUSSI
Relator
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/6702769/habeas-corpus-hc-150190

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Notíciashá 10 anos

Denunciação caluniosa, vingança que sai caro

João Paulo Orsini Martinelli, Advogado
Artigoshá 5 anos

Dos crimes de denunciação caluniosa, comunicação falsa de crime ou de contravenção e auto-acusação falsa

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 15 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 58961 ES 2006/0101764-7