jusbrasil.com.br
14 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX RS 1999/XXXXX-6

Superior Tribunal de Justiça
há 22 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

T1 - PRIMEIRA TURMA

Publicação

Julgamento

Relator

Ministro JOSÉ DELGADO

Documentos anexos

Certidão de JulgamentoRESP_220982_RS_1268957909481.pdf
Relatório e VotoRESP_220982_RS_1268957909480.pdf
VotoRESP_220982_RS_1268957909482.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO. RESPONSABILIDADE OBJETIVA. PRISÃO ILEGAL. DANOS MORAIS.

1. O Estado está obrigado a indenizar o particular quando, por atuação dos seus agentes, pratica contra o mesmo, prisão ilegal.
2. Em caso de prisão indevida, o fundamento indenizatório da responsabilidade do Estado deve ser enfocado sobre o prisma de que a entidade estatal assume o dever de respeitar, integralmente, os direitos subjetivos constitucionais assegurados ao cidadão, especialmente, o de ir e vir.
3. O Estado, ao prender indevidamente o indivíduo, atenta contra os direitos humanos e provoca dano moral ao paciente, com reflexos em suas atividades profissionais e sociais.
4. A indenização por danos morais é uma recompensa pelo sofrimento vivenciado pelo cidadão, ao ver, publicamente, a sua honra atingida e o seu direito de locomoção sacrificado.
5. A responsabilidade pública por prisão indevida, no direito brasileiro, está fundamentada na expressão contida no art. , LXXV, da CF.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos estes autos, acordam os Exmos. Srs. Ministros da Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, negar provimento ao recurso quanto à alegada violação ao art. 535, I e II, do CPC e, no mérito, por maioria, vencidos os Exmos. Srs. Ministros Garcia Vieira e Milton Luiz Pereira, dar-lhe provimento, nos termos do voto do Exmo. Sr. Ministro Relator. Votaram com o Relator os Exmos. Srs. Ministros Francisco Falcão e Humberto Gomes de Barros.

Resumo Estruturado

CABIMENTO, ESTADO, INDENIZAÇÃO, DANO MORAL, HIPOTESE, JUIZ, DECRETAÇÃO, PRISÃO, DIRETOR, EMPRESA, DECORRENCIA, DESCUMPRIMENTO, ORDEM JUDICIAL, AMBITO, AÇÃO CIVIL PÚBLICA, EXISTENCIA, REPERCUSSÃO SOCIAL, DIVULGAÇÃO, FATO, JORNAL, EMISSORA DE TELEVISÃO, INEXISTENCIA, CRIME DE DESOBEDIENCIA, ILEGALIDADE, ORDEM DE PRISÃO, CARACTERIZAÇÃO, RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO. (VOTO VENCIDO), DESCABIMENTO, ESTADO, INDENIZAÇÃO, DANO MORAL, DECORRENCIA, PRISÃO, DIRETOR, EMPRESA, DESCUMPRIMENTO, ORDEM JUDICIAL, EXISTENCIA, CRIME, DESOBEDIENCIA, LEGALIDADE, ORDEM DE PRISÃO, NÃO CARACTERIZAÇÃO, RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO.

Referências Legislativas

  • LEG:FED CFD:****** ANO:1988 ART :00005 INC:00075
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/8326652/recurso-especial-resp-220982-rs-1999-0057692-6

Informações relacionadas

André Gonzalez Cruz, Advogado
Artigoshá 7 anos

A Prisão Preventiva gera direito à indenização em caso de arquivamento do inquérito policial ou de absolvição na ação penal?

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Peças Processuaishá 9 meses

Petição Inicial - Ação Indenização por Dano Moral

Analice Costa, Advogado
Artigoshá 5 anos

3 Passos Simples para você escrever a Petição Inicial Perfeita!

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 22 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX RS 1999/XXXXX-6