jusbrasil.com.br
27 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça
há 2 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
T5 - QUINTA TURMA
Publicação
DJe 15/10/2019
Julgamento
10 de Outubro de 2019
Relator
Ministro RIBEIRO DANTAS
Documentos anexos
Inteiro TeorSTJ_AGRG-ARESP_1525456_00dfa.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

Superior Tribunal de Justiça
Revista Eletrônica de Jurisprudência
Exportação de Auto Texto do Word para o Editor de Documentos do STJ
RELATOR : MINISTRO RIBEIRO DANTAS
AGRAVANTE : FLÁVIO MELLO DOS SANTOS
ADVOGADOS : LUIZ GUSTAVO BATTAGLIN MACIEL - MS008195
SÉRGIO HENRIQUE RESENDE LANZONE E OUTRO (S) - MS015660
DIOGO MONETTO MENDES - RJ197153
AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
EMENTA
PROCESSO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. NÃO IMPUGNAÇÃO ESPECÍFICA AOS FUNDAMENTOS DA DECISÃO AGRAVADA. SÚMULA 182⁄STJ. INCIDÊNCIA. GRATUIDADE DA JUSTIÇA. INOVAÇÃO RECURSAL. AGRAVO NÃO PROVIDO.
1. A ausência de impugnação específica aos fundamentos da decisão que não admite o recurso especial impede o conhecimento do agravo, nos termos do que dispõe a Súmula 182⁄STJ, in verbis "é inviável o agravo do art. 545 do CPC que deixa de atacar especificamente os fundamentos da decisão agravada".
2. O argumento de que o enunciado da Súmula 83 do STJ aplica-se somente aos recursos especiais interpostos com fulcro na alínea c do permissivo constitucional não merece subsistir, uma vez que o entendimento adotado por esta Corte Superior é o de que "esse óbice também se aplica ao recurso especial interposto com fulcro na alínea a do permissivo constitucional" (AgRg no AREsp 475.096⁄MG, Rel. Ministro JOEL ILAN PACIORNIK, QUINTA TURMA, julgado em 9⁄8⁄2016, DJe 19⁄8⁄2016).
3. "Quando o inconformismo excepcional não é admitido pela instância ordinária, com fundamento no enunciado n. 83 da Súmula do Superior Tribunal de Justiça, a impugnação deve indicar precedentes contemporâneos ou supervenientes aos mencionados na decisão combatida"(AgRg no AREsp 709.926⁄RS, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE, TERCEIRA TURMA, julgado em 18⁄10⁄2016, DJe 28⁄10⁄2016).
4. Agravo regimental a que se nega provimento.
ACÓRDÃO
Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Ministros da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, negar provimento ao agravo regimental.
Os Srs. Ministros Leopoldo de Arruda Raposo (Desembargador convocado do TJ⁄PE) e Reynaldo Soares da Fonseca votaram com o Sr. Ministro Relator.
Ausentes, justificadamente, os Srs. Ministros Joel Ilan Paciornik e Jorge Mussi.
Brasília (DF), 10 de outubro de 2019 (data do julgamento)
MINISTRO RIBEIRO DANTAS
Relator
RELATOR : MINISTRO RIBEIRO DANTAS
AGRAVANTE : FLÁVIO MELLO DOS SANTOS
ADVOGADOS : LUIZ GUSTAVO BATTAGLIN MACIEL - MS008195
SÉRGIO HENRIQUE RESENDE LANZONE E OUTRO (S) - MS015660
DIOGO MONETTO MENDES - RJ197153
AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
RELATÓRIO
O EXMO. SR. MINISTRO RIBEIRO DANTAS (Relator):
Trata-se de agravo regimental interposto por FLÁVIO MELLO DOS SANTOS (e-STJ, fls. 603-613) contra decisão que não conheceu do recurso especial, diante do óbice da Súmula n. 182⁄STJ (e-STJ, fls. 597-598).
Em suas razões, o agravante afirma, em síntese, que a) "é de rigor a reforma da r. decisão monocrática para o fim de se conhecer o agravo de instrumento, assegurando ao recorrente a ampla apreciação do apelo especial e, sobretudo, o devido processo legal"(e-STJ, fl. 609); b) "o Recurso Especial não fora interposto com supedâneo na alínea “c” do art. 105, inciso III, da Carta da Republica, o que a nosso ver ensejaria a aplicação da Súmula 83 do STJ. Cabe ressaltar que a decisão que inadmitiu o apelo especial é deveras genérica, aplicável a todo e qualquer caso" (e-STJ, fl. 610) e c) "a defesa no Agravo de Instrumento esclareceu à saciedade que NÃO se questionava no Recurso Especial violações a Constituição Federal, até mesmo porque isso é matéria a ser discutida em eventual Recurso Extraordinário. Contudo, para contextualizar a violação as normas infraconstitucionais a defesa mencionou as violações as normas constitucionais, sobretudo porque ambas estão umbilicalmente interligadas"(e-STJ, fl. 610).
Requer a reconsideração da decisão agravada ou a submissão do feito à Quinta Turma.
É o relatório .
RELATOR : MINISTRO RIBEIRO DANTAS
AGRAVANTE : FLÁVIO MELLO DOS SANTOS
ADVOGADOS : LUIZ GUSTAVO BATTAGLIN MACIEL - MS008195
SÉRGIO HENRIQUE RESENDE LANZONE E OUTRO (S) - MS015660
DIOGO MONETTO MENDES - RJ197153
AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
EMENTA
PROCESSO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. NÃO IMPUGNAÇÃO ESPECÍFICA AOS FUNDAMENTOS DA DECISÃO AGRAVADA. SÚMULA 182⁄STJ. INCIDÊNCIA. GRATUIDADE DA JUSTIÇA. INOVAÇÃO RECURSAL. AGRAVO NÃO PROVIDO.
1. A ausência de impugnação específica aos fundamentos da decisão que não admite o recurso especial impede o conhecimento do agravo, nos termos do que dispõe a Súmula 182⁄STJ, in verbis "é inviável o agravo do art. 545 do CPC que deixa de atacar especificamente os fundamentos da decisão agravada".
2. O argumento de que o enunciado da Súmula 83 do STJ aplica-se somente aos recursos especiais interpostos com fulcro na alínea c do permissivo constitucional não merece subsistir, uma vez que o entendimento adotado por esta Corte Superior é o de que "esse óbice também se aplica ao recurso especial interposto com fulcro na alínea a do permissivo constitucional" (AgRg no AREsp 475.096⁄MG, Rel. Ministro JOEL ILAN PACIORNIK, QUINTA TURMA, julgado em 9⁄8⁄2016, DJe 19⁄8⁄2016).
3. "Quando o inconformismo excepcional não é admitido pela instância ordinária, com fundamento no enunciado n. 83 da Súmula do Superior Tribunal de Justiça, a impugnação deve indicar precedentes contemporâneos ou supervenientes aos mencionados na decisão combatida"(AgRg no AREsp 709.926⁄RS, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE, TERCEIRA TURMA, julgado em 18⁄10⁄2016, DJe 28⁄10⁄2016).
4. Agravo regimental a que se nega provimento.
VOTO
O EXMO. SR. MINISTRO RIBEIRO DANTAS (Relator):
A pretensão não merece êxito, na medida em que os agravantes não apresentaram argumentos capazes de modificar o entendimento anteriormente adotado.
Colhe-se da decisão agravada:
Mediante análise dos autos, verifica-se que a decisão agravada inadmitiu o recurso especial, considerando: não cabimento de REsp alegando violação a norma constitucional, não cabimento de REsp para reexame fático-probatório e Súmula 83⁄STJ.
Entretanto, a parte agravante deixou de impugnar especificamente: não cabimento de REsp alegando violação a norma constitucional e Súmula 83⁄STJ.
Como é cediço, não se conhece do agravo em recurso especial que não tenha impugnado especificamente todos os fundamentos da decisão recorrida.
A propósito, confira-se este julgado:
PROCESSUAL PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO ESPECÍFICA DOS FUNDAMENTOS DA DECISÃO QUE INADMITIU O AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 182⁄STJ. EXECUÇÃO PROVISÓRIA DA PENA. IMPOSSIBILIDADE. CONCESSÃO DE SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA PELO TRIBUNAL DE ORIGEM. AGRAVO REGIMENTAL IMPROVIDO.
1. A ausência de impugnação de todos os fundamentos da decisão que inadmitiu o recurso especial obsta o conhecimento do agravo, nos termos do art. 932, III, CPC de 2015, art. 253, parágrafo único, I, do RISTJ e da Súmula 182 do STJ, aplicável por analogia.
2. Incabível a execução provisória da pena imposta a réu ao qual concedida a suspensão condicional da pena. Precedentes.
3. Agravo regimental improvido e indeferido o pedido de execução provisória da pena. (AgRg no AREsp n. 1.193.328⁄GO, relator Ministro Nefi Cordeiro, Sexta Turma, DJe de 11⁄5⁄2018.)
Nesse sentido, vejam-se ainda os seguintes precedentes: AgInt no AREsp n. 880.709⁄PR, relator Ministro Mauro Campbell Marques, Segunda Turma, DJe de 17⁄6⁄2016; AgRg no AREsp n. 575.696⁄MG, relator Ministro Paulo de Tarso Sanseverino, Terceira Turma, DJe de 13⁄5⁄2016; AgRg no AREsp n. 825.588⁄RJ, relator Ministro Luis Felipe Salomão, Quarta Turma, DJe de 12⁄4⁄2016; AgRg no AREsp n. 809.829⁄ES, relator Ministro Reynaldo Soares da Fonseca, Quinta Turma, DJe de 29⁄6⁄2016; e AgRg no AREsp n. 905.869⁄ES, relatora Ministra Maria Thereza de Assis Moura, Sexta Turma, DJe de 14⁄6⁄2016.
Ante o exposto, com base no art. 21-E, inciso V, c.c. o art. 253, parágrafo único, inciso I, ambos do Regimento Interno do Superior Tribunal de Justiça, não conheço do agravo em recurso especial"(e-STJ, fls. 597-598).
O argumento de que o enunciado da Súmula 83 do STJ aplica-se somente aos recursos especiais interpostos com fulcro na alínea c do permissivo constitucional não merece subsistir, uma vez que o entendimento adotado por esta Corte Superior é o de que"esse óbice também se aplica ao recurso especial interposto com fulcro na alínea a do permissivo constitucional"(AgRg no AREsp 475.096⁄MG, Rel. Ministro JOEL ILAN PACIORNIK, QUINTA TURMA, julgado em 09⁄08⁄2016, DJe 19⁄08⁄2016).
No caso a aplicação da súmula 83⁄STJ foi reconhecida diante de matéria satisfatoriamente apreciada pela Corte de origem e já pacificada nesta Corte Superior, não havendo falar em excepcionalidade para processamento do apelo nobre.
O agravante deixou de refutar a aplicação da Súmula 83⁄STJ acima referenciada de forma satisfatória alegando apenas que"jamais se aventou que a interpretação da lei federal conferida pelo Tribunal a quo era divergente a de outro Tribunal. Ao revés, o Recurso Especial buscou o reconhecimento das violações as normas infraconstitucionais, como bem pontuado no competente agravo de instrumento"(e-STJ, fl. 610), o que atrai o impeditivo da Súmula 182 deste Superior Tribunal, segundo a qual"é inviável o agravo do art. 545 do CPC que deixa de atacar especificamente os fundamentos da decisão agravada".
Anote-se que o Código de Processo Civil de 2015, em seu art. 932, reafirmou a orientação do STJ, ao exigir a impugnação específica dos fundamentos da decisão agravada.
Ademais, tem-se que:
"A jurisprudência desta Corte é assente no sentido de que, para afastar a incidência da Súmula 182⁄STJ, não basta a impugnação genérica dos fundamentos da decisão agravada, é necessário que a contestação seja específica e suficientemente demonstrada"(AgInt no REsp 1.600.403⁄GO, Rel. Ministro HUMBERTO MARTINS, SEGUNDA TURMA, julgado em 23⁄8⁄2016, DJe 31⁄8⁄2016).
Nesse sentido:
"AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. DOIS FURTOS SIMPLES. VIOLAÇÃO DO ART. 155 DO CP. RES FURTIVA: UMA FACA E UMA EMBALAGEM DE PISCA-PISCA, AVALIADOS EM R$ 32,00. COMPORTAMENTO REPROVÁVEL. CONSTATADA A INAPLICABILIDADE. PRECEDENTES DO STJ. RECURSO QUE NÃO INFIRMOU, DE FORMA ESPECÍFICA, OS FUNDAMENTOS DO DECISUM COMBATIDO. INADMISSIBILIDADE. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 182⁄STJ.
1. O recurso especial foi desprovido, pela inaplicabilidade do princípio da insignificância, notadamente, diante do modus operandi do ora agravante, em que a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça é firme no sentido de que a prática de delitos de furto em continuidade delitiva evidencia o maior grau de reprovabilidade da conduta do agente, sendo, portanto, inviável a aplicação do referido postulado.
2. A insurgência não merece prosperar, haja vista o agravante não ter atacado de forma específica os fundamentos da decisão agravada, incidindo, no caso, a Súmula 182⁄STJ.
3. Como tem reiteradamente decidido esta Corte, em obediência ao princípio da dialeticidade, os recursos devem impugnar, de maneira específica e pormenorizada, todos os fundamentos da decisão contra a qual se insurgem, sob pena de vê-los mantidos (AgRg no AREsp n. 1.234.909⁄SP, Ministro Reynaldo Soares da Fonseca, Quinta Turma, DJe 2⁄4⁄2018).
4. Nos termos da Súmula 182 desta Corte, é manifestamente inadmissível o agravo regimental que não impugna, especificamente, todos os fundamentos da decisão confrontada (AgRg no AREsp n. 1.056.485⁄ES, Ministro Nefi Cordeiro, Sexta Turma, DJe 2⁄4⁄2018).
5. Agravo regimental não conhecido."
(AgRg no REsp 1740601⁄MG, Rel. Ministro SEBASTIÃO REIS JÚNIOR, SEXTA TURMA, julgado em 23⁄08⁄2018, DJe 04⁄09⁄2018).
"PROCESSUAL PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO RECURSO ESPECIAL. CONTRADIÇÃO EXTERNA. REJEIÇÃO DOS EMBARGOS. NULIDADE. LAUDO ASSINADO POR DOIS PERITOS. APENAS UMA ASSINATURA IDENTIFICADA. MERA IRREGULARIDADE. PRECEDENTE. SÚMULA 182⁄STJ. AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO.
[...]
3. "Agravo regimental que não infirma todos os fundamentos da decisão agravada não pode ser conhecido (Súmula 182 do STJ)." (AgRg no REsp 1.419.640⁄RN, Rel. Ministro FELIX FISCHER, QUINTA TURMA, julgado em 02⁄05⁄2017, DJe 24⁄05⁄2017).
4. Agravo regimental não conhecido."
(AgRg nos EDcl no REsp 1450693⁄SP, de minha relatoria, QUINTA TURMA, julgado em 27⁄06⁄2017, DJe 01⁄08⁄2017).
"AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA. ALEGAÇÃO DE ATIPICIDADE DA CONDUTA. AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO DOS FUNDAMENTOS DA DECISÃO AGRAVADA. APLICAÇÃO DA SÚMULA N. 182 DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA. PRAZO PRESCRICIONAL NÃO IMPLEMENTADO.
I - Não merece ser conhecido o agravo regimental que deixa de infirmar todos os fundamentos utilizados na decisão agravada.
[...] Agravo regimental não conhecido."
(AgRg no AREsp 471.237⁄PA, Rel. Ministro FELIX FISCHER, QUINTA TURMA, julgado em 28⁄03⁄2017, DJe 05⁄04⁄2017).
"AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ALEGADA OMISSÃO DO JULGADO. AUSÊNCIA DE INTERPOSIÇÃO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO PRAZO LEGAL. FUNDAMENTO DA DECISÃO QUE NÃO CONHECEU DO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL NÃO COMBATIDO. SÚMULA N. 182 DO STJ. INCIDÊNCIA DA SÚMULA N. 7 DO STJ INFIRMADA NA PETIÇÃO DE AGRAVO REGIMENTAL. VIOLAÇÃO DO ART. 580 DO CPP. INCIDÊNCIA DA SÚMULA N. 7 DO STJ. AGRAVO REGIMENTAL NÃO CONHECIDO.
1. 'O agravo regimental não se presta para sanar eventuais omissões existentes no julgado nos termos do art. 619 do CPP, tampouco se mostra possível a aplicação do princípio da fungibilidade recursal em casos tais onde os prazos processuais são distintos' (AgRg no REsp. n. 1.171.228⁄PR, Rel. Min. Jorge Mussi, 5ª T., DJe 8⁄2⁄2013).
2. O agravante deixou de impugnar, nas razões do agravo regimental, causa de não conhecimento do agravo em recurso especial. Incidência, por analogia, do enunciado sumular n. 182 do STJ.
[...]
4. Agravo regimental não conhecido."
(AgRg no AREsp 284.633⁄DF, Rel. Ministro ROGERIO SCHIETTI CRUZ, SEXTA TURMA, julgado em 14⁄03⁄2017, DJe 22⁄03⁄2017).
Ressalte-se, que esta Corte firmou o entendimento de que," quando o inconformismo excepcional não é admitido pela instância ordinária, com fundamento no enunciado n. 83 da Súmula do Superior Tribunal de Justiça, a impugnação deve indicar precedentes contemporâneos ou supervenientes aos mencionados na decisão combatida "(AgRg no AREsp 709.926⁄RS, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE, TERCEIRA TURMA, julgado em 18⁄10⁄2016, DJe 28⁄10⁄2016), o que não ocorreu no caso destes autos.
Ilustrativamente temos:
" A orientação jurisprudencial consolidada na Súmula n. 83 desta Corte é aplicável também aos recursos especiais fundados na alínea 'a' do art. 105, III da Constituição da República. E isto, porque, se a jurisprudência do Tribunal se firmou no mesmo sentido do acórdão recorrido, não há se cogitar de ofensa, por parte deste último, à lei federal."(AgRg no REsp 795.184⁄SP, Rel. CELSO LIMONGI, Desembargador convocado do TJ⁄SP, SEXTA TURMA, julgado em 16⁄12⁄2010, DJe 1º⁄2⁄2011).
Ante o exposto, nego provimento ao agravo regimental.
É o voto.
CERTIDÃO DE JULGAMENTO
QUINTA TURMA
AgRg no
Número Registro: 2019⁄0178576-4
AREsp 1.525.456 ⁄ RJ
Números Origem: 00028275120078190028 00055781220188190000 20070280027890 20070280211111 28275120078190028 55781220188190000
MATÉRIA CRIMINAL
EM MESA JULGADO: 10⁄10⁄2019
Relator
Exmo. Sr. Ministro RIBEIRO DANTAS
Presidente da Sessão
Exmo. Sr. Ministro RIBEIRO DANTAS
Subprocurador-Geral da República
Exmo. Sr. Dr. FRANCISCO XAVIER PINHEIRO FILHO
Secretário
Me. MARCELO PEREIRA CRUVINEL
AUTUAÇÃO
AGRAVANTE : FLÁVIO MELLO DOS SANTOS (PRESO)
ADVOGADOS : LUIZ GUSTAVO BATTAGLIN MACIEL - MS008195
SÉRGIO HENRIQUE RESENDE LANZONE E OUTRO (S) - MS015660
DIOGO MONETTO MENDES - RJ197153
AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
CORRÉU : CLAUDIO PINTO MAGALHAES
CORRÉU : ROGERIO RIOS MOSQUEIRA
CORRÉU : JOSE ROBERTO CARDOSO NASCIMENTO
CORRÉU : VALDELICIO ACACIO RODRIGUES
CORRÉU : RAFAEL ALVES DA SILVA
CORRÉU : SANDRO LUIS DE PAULA AMORIM
CORRÉU : GABRIELA PESSOA BASTOS
CORRÉU : CATIANO DOS PASSOS ROCHA
CORRÉU : DANIEL GOMES DE LIMA
CORRÉU : JOAO BEZERRA DOS SANTOS
CORRÉU : CATIANO DOS PASSOS ROCHA
CORRÉU : DAVI FERREIRA DE SOUZA
CORRÉU : ALCIONE SILVEIRA DE SOUZA
CORRÉU : CRISTIANO ROCHA CLEMENTE
CORRÉU : LEANDRO JULIO JARDIM
CORRÉU : LUIZ CARLOS MORAES DE SOUZA
CORRÉU : MARCELO BERNADINO DA FONSECA
CORRÉU : ANTONIO CARLOS MACHADO PONTES JUNIOR
CORRÉU : ISAURA CRISTINA SANTOS SALES
CORRÉU : LEONARDO CÉSAR DE MORAES
CORRÉU : ANDERSON DA SILVA BASTOS
CORRÉU : CLAUDENIR DA SILVA ROSA
CORRÉU : PAULO VITOR DE LEMOS GENEROSO
CORRÉU : ZEZUEL VITOR DE LEMOS GENEROSO
CORRÉU : JULIO MANOEL DIOGO FILHO
CORRÉU : WALLACE MARTINS DE OLIVEIRA
CORRÉU : WELINTON DA SILVA SANTOS
CORRÉU : ELTON DA SILVA
ASSUNTO: DIREITO PENAL - Crimes Previstos na Legislação Extravagante - Crimes de Tráfico Ilícito e Uso Indevido de Drogas - Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins
AGRAVO REGIMENTAL
AGRAVANTE : FLÁVIO MELLO DOS SANTOS
ADVOGADOS : LUIZ GUSTAVO BATTAGLIN MACIEL - MS008195
SÉRGIO HENRIQUE RESENDE LANZONE E OUTRO (S) - MS015660
DIOGO MONETTO MENDES - RJ197153
AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
CERTIDÃO
Certifico que a egrégia QUINTA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:
"A Turma, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental."
Os Srs. Ministros Leopoldo de Arruda Raposo (Desembargador convocado do TJ⁄PE) e Reynaldo Soares da Fonseca votaram com o Sr. Ministro Relator.
Ausentes, justificadamente, os Srs. Ministros Joel Ilan Paciornik e Jorge Mussi.

Documento: 1875435 Inteiro Teor do Acórdão - DJe: 15/10/2019
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/859732115/agravo-regimental-no-agravo-em-recurso-especial-agrg-no-aresp-1525456-rj-2019-0178576-4/inteiro-teor-859732125

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
Jurisprudênciahá 10 anos

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE : EI 0002827-51.2007.8.19.0028 RJ 0002827-51.2007.8.19.0028

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 5 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AgRg no AREsp 0019095-28.2012.8.21.0004 RS 2015/0108435-1

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AREsp 0005578-12.2018.8.19.0000 RJ 2019/0178576-4