jusbrasil.com.br
16 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça
há 5 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

T3 - TERCEIRA TURMA

Publicação

Julgamento

Relator

Ministro PAULO DE TARSO SANSEVERINO

Documentos anexos

Inteiro TeorSTJ_AGINT-RESP_1598961_88b35.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

Superior Tribunal de Justiça
Revista Eletrônica de Jurisprudência
Brasília – DF, 06 de fevereiro de 2001
RELATOR : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO
AGRAVANTE : OAS S.A. - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
AGRAVANTE : CONSTRUTORA OAS S⁄A - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
ADVOGADOS : JOEL LUÍS THOMAZ BASTOS E OUTRO (S) - SP122443
RICARDO POMERANC MATSUMOTO - SP174042
THAÍS REGINA HENRIQUE FRANCESCONI - SP287706
LUCAS RODRIGUES DO CARMO - SP299667
MARIANA TIEMI KINJO - SP375510
AGRAVADO : BANCO CAIXA GERAL - BRASIL S.A
ADVOGADOS : LEONEL AFFONSO JUNIOR - SP092360
RAFAEL VILLAR GAGLIARDI - SP195112
FERNANDA DE GOUVÊA LEÃO E OUTRO (S) - SP172601
HALISSON ADRIANO COSTA E OUTRO (S) - DF026638
EMENTA
AGRAVO INTERNO NO RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL ( CPC⁄73). AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. NÃO PROTELATÓRIOS. MULTA. AFASTADA. LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ. NÃO OCORRÊNCIA. MULTA EXTIRPADA.
1. Os embargos de declaração que objetivam prequestionar as matérias a serem submetidas às instâncias extraordinárias não se revestem de caráter procrastinatório, devendo ser afastada a multa prevista no art. 538, parágrafo único, do Código de Processo Civil (Súmula n.º 98⁄STJ).
2. Não há litigância de má-fé na mera interposição de recursos legalmente previstos no ordenamento jurídico, sem abuso do direito de recorrer e inexistindo descaso com o Poder Judiciário.
3. Não apresentação pela parte agravante de argumentos novos capazes de infirmar os fundamentos que alicerçaram a decisão agravada.
4. AGRAVO INTERNO DESPROVIDO .
ACÓRDÃO
Vistos e relatados estes autos em que são partes as acima indicadas, decide a Egrégia TERCEIRA TURMA do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, negar provimento ao agravo interno, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Ricardo Villas Bôas Cueva, Marco Aurélio Bellizze (Presidente), Moura Ribeiro e Nancy Andrighi votaram com o Sr. Ministro Relator.
Brasília, 27 de junho de 2017. (Data de Julgamento)
MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO
Relator
RELATOR : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO
AGRAVANTE : OAS S.A. - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
AGRAVANTE : CONSTRUTORA OAS S⁄A - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
ADVOGADOS : JOEL LUÍS THOMAZ BASTOS E OUTRO (S) - SP122443
RICARDO POMERANC MATSUMOTO - SP174042
THAÍS REGINA HENRIQUE FRANCESCONI - SP287706
LUCAS RODRIGUES DO CARMO - SP299667
MARIANA TIEMI KINJO - SP375510
AGRAVADO : BANCO CAIXA GERAL - BRASIL S.A
ADVOGADOS : LEONEL AFFONSO JUNIOR - SP092360
RAFAEL VILLAR GAGLIARDI - SP195112
FERNANDA DE GOUVÊA LEÃO E OUTRO (S) - SP172601
HALISSON ADRIANO COSTA E OUTRO (S) - DF026638
RELATÓRIO
O EXMO. SR. MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO (Relator):
Trata-se de agravo interno interposto por OAS S.A. - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL e CONSTRUTORA OAS S⁄A - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL contra decisão de fls. 834⁄844, que deu parcial provimento ao recurso especial nos seguintes termos:
RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL ( CPC⁄73). AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL. ALEGAÇÃO DE NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. INEXISTÊNCIA. VIOLAÇÃO AO ART. 557, DO CPC⁄1973. NÃO OCORRÊNCIA. JULGAMENTO MONOCRÁTICO. CABIMENTO. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. NÃO PROTELATÓRIOS. MULTA. AFASTADA. LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ. NÃO OCORRÊNCIA. MULTA EXTIRPADA. MEDIDA CAUTELAR. ARRESTO. REQUISITOS AUTORIZADORES. SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. REVISÃO. IMPOSSIBILIDADE. INCIDÊNCIA DO ENUNCIADO Nº 7⁄STJ.
1. Inexistência de ofensa ao art. 535, incisos I e II, do CPC⁄73, quando o acórdão recorrido, ainda que de forma sucinta, aprecia com clareza as questões essenciais ao julgamento da lide.
2. O julgamento monocrático da causa pelo relator, utilizando-se dos poderes processuais do art. 557, do CPC⁄1973, não ofende o princípio do duplo grau de jurisdição se o recurso é manifestamente inadmissível ou improcedente. Ademais, eventual mácula fica superada com o julgamento colegiado do recurso pelo órgão competente.
3. Os embargos de declaração que objetivam prequestionar as matérias a serem submetidas às instâncias extraordinárias não se revestem de caráter procrastinatório, devendo ser afastada a multa prevista no art. 538, parágrafo único, do Código de Processo Civil (Súmula n.º 98⁄STJ).
4. Não há litigância de má-fé na mera interposição de recursos legalmente previstos no ordenamento jurídico, sem abuso do direito de recorrer e inexistindo descaso com o Poder Judiciário.
5. A reforma do julgado demandaria o reexame do contexto fático-probatório, procedimento vedado na estreita via do recurso especial, a teor do Enunciado n.º 7⁄STJ.
6. RECURSO ESPECIAL PARCIALMENTE PROVIDO .
Em suas razões, as agravantes pugnaram pela manutenção da multa aplicada em razão do reconhecimento do intuito protelatórios dos embargos declaratórios. Pleitearam pela incidência da multa por litigância de má-fé.
Requereram, por fim, o provimento do presente agravo interno.
Houve apresentação de impugnação às fls. 858⁄864.
É o relatório.
VOTO
O EXMO. SR. MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO (Relator):
Eminentes Colegas, o agravo interno não merece provimento.
Em que pese o arrazoado, entendo que a ausência de qualquer novo subsídio trazido pelas agravantes, capaz de alterar os fundamentos da decisão ora agravada, faz subsistir incólume o entendimento nela firmado.
Passo, de todo modo, ao exame do presente agravo interno.
1) Quanto à multa imposta em sede de e dos embargos declaratórios, o agravo não merece melhor sorte.
Consoante destacado na decisão monocrática ora agravada, os embargos de declaração que objetivam prequestionar as matérias a serem submetidas às instâncias extraordinárias não se revestem de caráter procrastinatório, devendo ser afastada a multa prevista no art. 538, parágrafo único, do Código de Processo Civil.
A propósito:
AGRAVO INTERNO. RECURSO ESPECIAL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. MULTA. ARTIGO 538, PARÁGRAFO ÚNICO, DO CPC⁄73. SÚMULA N. 98⁄STJ. AÇÃO RESCISÓRIA. CERTIDÃO DE TRÂNSITO EM JULGADO. AUSÊNCIA. ARTIGO 284 DO CPC⁄73. EMENDA. INUTILIDADE NO CASO CONCRETO. FUNDAMENTO.
IMPUGNAÇÃO. SÚMULA N. 283⁄STF. NÃO PROVIMENTO.1. Os embargos de declaração com o claro propósito de obter o prequestionamento da causa não pode ser considerado protelatório, como ensina o verbete n. 98 da Súmula desta Corte. Multa afastada na decisão agravada.
2. O fundamento do acórdão regional, segundo o qual o processo ainda estava em curso, o que levaria à inutilidade da intimação para juntar aos autos a certidão de trânsito em julgado para fins de cabimento da ação rescisória, não foi impugnado pelos recorrentes, a atrair as disposições do enunciado n. 283 da Súmula do Supremo Tribunal Federal.3. Agravo interno a que se nega provimento. (AgInt no REsp 1607151⁄SP, Rel. Ministra MARIA ISABEL GALLOTTI, QUARTA TURMA, julgado em 25⁄04⁄2017, DJe 04⁄05⁄2017)
2) No que concerne à multa aplicada por litigância de má-fé , o agravo interno não merece melhor sorte.
A interposição de recurso legalmente previsto no ordenamento jurídico pátrio, afasta-se a multa aplicada.
A propósito:
AGRAVO INTERNO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. AÇÃO DE RESSARCIMENTO POR ENRIQUECIMENTO ILÍCITO. AUSÊNCIA DE VIOLAÇÃO AO ART. 1.022 DO CPC⁄2015. INCIDÊNCIA DA COISA JULGADA. REVER A CONCLUSÃO DO ACÓRDÃO. IMPOSSIBILIDADE. SÚMULA 7⁄STJ. REDUÇÃO DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. NECESSIDADE DE REEXAME FÁTICO-PROBATÓRIO. SÚMULA 7⁄STJ. AGRAVO INTERNO IMPROVIDO.
(...)
4. Quanto à pretensão da parte agravada em condenar a ora agravante às penas da litigância de má-fé, constato que não merece guarida, pois, conforme entendimento desta Corte: "A interposição de recursos cabíveis não implicam em litigância de má-fé nem ato atentatório à dignidade da justiça, ainda que com argumentos reiteradamente refutados pelo Tribunal de origem ou sem alegação de fundamento novo" (AgRg nos EDcl no REsp n. 1.333.425⁄SP, Relatora a Ministra Nancy Andrighi, DJe 4⁄12⁄2012).
5. Agravo interno improvido. (AgInt no AREsp XXXXX⁄RS, Rel. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE, TERCEIRA TURMA, julgado em 25⁄04⁄2017, DJe 04⁄05⁄2017)
Ante o exposto, nego provimento ao agravo interno.
É o voto.

CERTIDÃO DE JULGAMENTO
TERCEIRA TURMA
AgInt no
Número Registro: 2016⁄0105302-7
PROCESSO ELETRÔNICO
REsp 1.598.961 ⁄ SP
Número Origem: XXXXX20158260000
PAUTA: 27⁄06⁄2017 JULGADO: 27⁄06⁄2017
Relator
Exmo. Sr. Ministro PAULO DE TARSO SANSEVERINO
Presidente da Sessão
Exmo. Sr. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE
Subprocuradora-Geral da República
Exma. Sra. Dra. LINDÔRA MARIA ARAÚJO
Secretária
Bela. MARIA AUXILIADORA RAMALHO DA ROCHA
AUTUAÇÃO
RECORRENTE : BANCO CAIXA GERAL - BRASIL S.A
ADVOGADOS : LEONEL AFFONSO JUNIOR - SP092360
RAFAEL VILLAR GAGLIARDI - SP195112
FERNANDA DE GOUVÊA LEÃO E OUTRO (S) - SP172601
HALISSON ADRIANO COSTA E OUTRO (S) - DF026638
RECORRIDO : OAS S.A. - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
RECORRIDO : CONSTRUTORA OAS S⁄A - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
ADVOGADOS : JOEL LUÍS THOMAZ BASTOS E OUTRO (S) - SP122443
RICARDO POMERANC MATSUMOTO - SP174042
THAÍS REGINA HENRIQUE FRANCESCONI - SP287706
LUCAS RODRIGUES DO CARMO - SP299667
MARIANA TIEMI KINJO - SP375510
ASSUNTO: DIREITO CIVIL - Obrigações - Espécies de Títulos de Crédito - Cédula de Crédito Bancário
AGRAVO INTERNO
AGRAVANTE : OAS S.A. - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
AGRAVANTE : CONSTRUTORA OAS S⁄A - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
ADVOGADOS : JOEL LUÍS THOMAZ BASTOS E OUTRO (S) - SP122443
RICARDO POMERANC MATSUMOTO - SP174042
THAÍS REGINA HENRIQUE FRANCESCONI - SP287706
LUCAS RODRIGUES DO CARMO - SP299667
MARIANA TIEMI KINJO - SP375510
AGRAVADO : BANCO CAIXA GERAL - BRASIL S.A
ADVOGADOS : LEONEL AFFONSO JUNIOR - SP092360
RAFAEL VILLAR GAGLIARDI - SP195112
FERNANDA DE GOUVÊA LEÃO E OUTRO (S) - SP172601
HALISSON ADRIANO COSTA E OUTRO (S) - DF026638
CERTIDÃO
Certifico que a egrégia TERCEIRA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:
A Terceira Turma, por unanimidade, negou provimento ao agravo interno, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator.
Os Srs. Ministros Ricardo Villas Bôas Cueva, Marco Aurélio Bellizze (Presidente), Moura Ribeiro e Nancy Andrighi votaram com o Sr. Ministro Relator.

Documento: XXXXX Inteiro Teor do Acórdão - DJe: 02/08/2017
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/860738724/agravo-interno-no-recurso-especial-agint-no-resp-1598961-sp-2016-0105302-7/inteiro-teor-860738734

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 2 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO INTERNO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AgInt no AREsp XXXXX SP 2019/XXXXX-9

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp XXXXX DF 2019/XXXXX-0

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul TJ-MS - Apelação Cível: AC XXXXX-22.2018.8.12.0051 MS XXXXX-22.2018.8.12.0051

Tribunal Superior do Trabalho
Jurisprudênciahá 12 anos

Tribunal Superior do Trabalho TST - EMBARGOS DECLARATORIOS: ED XXXXX-12.2005.5.14.0041

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
Jurisprudênciaano passado

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - AGRAVO DE INSTRUMENTO: AI XXXXX-26.2020.8.19.0000