jusbrasil.com.br
28 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça
há 4 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
T2 - SEGUNDA TURMA
Publicação
DJe 27/11/2017
Julgamento
21 de Novembro de 2017
Relator
Ministro FRANCISCO FALCÃO
Documentos anexos
Inteiro TeorSTJ_AGINT-RESP_1666328_15bb1.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

Superior Tribunal de Justiça
Revista Eletrônica de Jurisprudência
Brasília (DF), 20 de março de 2001
RELATOR : MINISTRO FRANCISCO FALCÃO
AGRAVANTE : MULTIVENDAS COM & DIST DE DESCARTAVEIS LTDA - EPP
ADVOGADOS : NELSON WILIANS FRATONI RODRIGUES - SP128341
RAFAEL SGANZERLA DURAND - SP211648
RODRIGO OTAVIO ACCETE BELINTANI E OUTRO (S) - SP252084A
AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL
EMENTA
TRIBUTÁRIO. INCIDÊNCIA DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. JURISPRUDÊNCIA PACÍFICA SOBRE AS MATÉRIAS: ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E O ADICIONAL DE TRANSFERÊNCIA; DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO PROPORCIONAL AO AVISO PRÉVIO; CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL SOBRE O ADICIONAL DE HORAS EXTRAS, ADICIONAL NOTURNO E O ADICIONAL DE PERICULOSIDADE. INCIDÊNCIA DO ENUNCIADO N. 83 DA SÚMULA DO STJ.
I - A jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça é uníssona no sentido de que é devida a contribuição previdenciária sobre o décimo terceiro salário proporcional ao aviso prévio, em virtude da natureza remuneratória da parcela ora em apreço: AgInt no REsp 1.420.490⁄RS, Rel. Ministro Gurgel de Faria, Primeira Turma, julgado em 11⁄10⁄2016, DJe 16⁄11⁄2016; AgInt no REsp 1.584.831⁄CE, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, julgado em 14⁄6⁄2016, DJe 21⁄6⁄2016.
II - O Superior Tribunal de Justiça tem jurisprudência firme no sentido de que a contribuição previdenciária patronal incide sobre o adicional de insalubridade e o adicional de transferência. (AgInt no REsp 1.599.263⁄SC, Rel. Ministro Og Fernandes, Segunda Turma, julgado em 4⁄10⁄2016, DJe de 11⁄10⁄2016; (AgInt no AgRg no AREsp 778.581⁄AC, Rel. Ministro Benedito Gonçalves, Primeira Turma, julgado em 15⁄9⁄2016, DJe de 26⁄9⁄2016; AgInt no REsp 1.596.197⁄PR, Rel. Ministra Regina Helena Costa, Primeira Turma, julgado em 22⁄9⁄2016, DJe de 7⁄10⁄2016.
III - Esta Corte Superior tem jurisprudência firmada quanto à incidência da contribuição previdenciária patronal sobre o adicional de horas extras, o adicional noturno e o adicional de periculosidade: AgInt no REsp 1.595.273⁄SC, Rel. Ministro Og Fernandes, Segunda Turma, julgado em 6⁄10⁄2016, DJe de 14⁄10⁄2016; AgInt no REsp 1.594.929⁄SC, Rel. Ministro Herman Benjamin, Segunda Turma, julgado em 6⁄10⁄2016, DJe de 17⁄10⁄2016; AgRg no REsp 1.514.976⁄PR, Rel. Ministro Gurgel de Faria, Primeira Turma, julgado em 21⁄6⁄2016, DJe de 5⁄8⁄2016.
IV - Agravo interno improvido.
ACÓRDÃO
Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Ministros da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, negou provimento ao agravo interno, nos termos do voto do (a) Sr (a). Ministro (a)-Relator (a)." Os Srs. Ministros Herman Benjamin, Mauro Campbell Marques e Assusete Magalhães votaram com o Sr. Ministro Relator.
Ausente, justificadamente, o Sr. Ministro Og Fernandes.
Brasília (DF), 21 de novembro de 2017 (Data do Julgamento)
MINISTRO FRANCISCO FALCÃO
Relator
RELATÓRIO
O EXMO. SR. MINISTRO FRANCISCO FALCÃO (Relator):

Na origem, trata-se de mandado de segurança que objetiva suspensão da incidência da contribuição previdenciária sobre valores referentes a horas extras; aos adicionais: noturno, de insalubridade, de periculosidade e de transferência; ao aviso prévio indenizado e respectiva parcela de 13º salário, com valor da causa fixado em R$ 5.200,00 (cinco mil e duzentos reais).

Na sentença concedeu-se a segurança. Opostos embargos de declaração, foram rejeitados. No Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso, a sentença foi mantida, conforme a seguinte ementa do acórdão:

TRIBUTÁRIO. MANDADO DE SEGURANÇA. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. FOLHA DE SALÁRIOS. NÃO INCIDÊNCIA: AVISO PRÉVIO INDENIZADO (E SEUS REFLEXOS NO 13º SALÁRIO). INCIDÊNCIA: ADICIONAIS DE HORAS EXTRAS, NOTURNO, INSALUBRIDADE E DE TRANSFERÊNCIA. APLICAÇÃO DA PRESCRIÇÃO QUINQUENAL PARA AÇÕES REPETITÓRIAS AJUIZADAS A PARTIR DE 09 JUN 2005. COMPENSAÇÃO. (07)
1. O Pleno do STF (RE 566621⁄RS, Rel. Min. ELLEN GRACIE, trânsito em julgado em 27.02.2012), sob o signo do art. 543-B do CPC, que concede ao precedente extraordinária eficácia vinculativa que impõe sua adoção em casos análogos, reconheceu a inconstitucionalidade do art. , segunda parte, da LC 118⁄2005 e considerou aplicável a prescrição qüinqüenal às ações repetitórias ajuizadas a partir de 09 JUN 2005.
2. A jurisprudência do STJ é no sentido de que não incide contribuição previdenciária patronal sobre o aviso prévio indenizado (REsp n. 1230957⁄RS, sob o rito do 543-C do CPC). Da mesma forma, a jurisprudência desta T7⁄TRF1 em relação ao décimo terceiro salário proporcional do aviso prévio (v.g. AMS n. 0004858.42.2010.4.01.3304⁄BA e AMS n. 2002.34.00.006059-7⁄DF).
3. Jurisprudência desta Corte e do STJ são pacíficas no sentido da incidência da contribuição previdenciária sobre o pagamento dos adicionais de horas extras, periculosidade, insalubridade, transferência e noturno (REsp 1358281⁄SP, Rel. Ministro Herman Benjamin, Primeira Seção, julgado em 23⁄04⁄2014, DJe 05⁄12⁄2014, julgado sob o regime do art 543-C do CPC; AC 0009255- 84.2009.4.01.3400⁄DF, Rel. Desembargador Federal Reynaldo Fonseca, Sétima Turma, e-DJF1 p.546 de 13⁄03⁄2015; AMS 0000545-46.2008.4.01.3809⁄MG, Rel. Desembargador Federal José Amilcar Machado, Sétima Turma, e-DJF1 p.622 de 13⁄02⁄2015).
4. Quanto à compensação, o Superior Tribunal de Justiça, sob o rito dos recursos repetitivos, firmou o entendimento de que a lei que rege a compensação tributária é a vigente na data de propositura da ação, ressalvando-se, no entanto, o direito de o contribuinte proceder à compensação dos créditos pela via administrativa, em conformidade com as normas posteriores. Precedente (REsp nº 1.137738⁄SP – Rel. Min. Luiz Fux – STJ – Primeira Seção – Unânime – DJe 1º⁄02⁄2010). Aplicável, ainda, o disposto no art. 170-A do CTN.
5. Apelações e remessa oficial não providas.

Opostos embargos declaratórios, foram rejeitados.

Interpostos recursos especiais por ambas as partes, deu-se provimento ao recurso especial interposto pela Fazenda Nacional, para reconhecer a validade da exação da contribuição previdenciária sobre às verbas atinentes ao décimo terceiro proporcional ao aviso prévio indenizado e, com fundamento no art. 253, parágrafo único, II, b, do RISTJ, conheceu-se do agravo interposto pelo contribuinte para negar provimento ao respectivo recurso especial.

Interposto agravo interno, o particular alega que é inquestionável a inexistência de relação jurídica entre a agravante e o fisco relativamente à incidência das contribuições previdenciárias sobre os pagamentos realizados ao segurado a título de adicional de transferência e de insalubridade, conforme o seguinte trecho da petição de agravo interno (fl. 518):

Ora, conforme já afirmado anteriormente, não há incidência da contribuição em comento sobre as parcelas INDENIZATÓRIAS, isto é, adicionais de insalubridade e de transferência, bem como a respectiva parcela do 13º salário proporcional ao aviso prévio indenizado, haja vista que o trabalhador é apenas indenizado pelo fato de exercer suas funções em condições anormais.

Intimada, a parte agravada não apresentou impugnação.

É o relatório.

VOTO
O EXMO. SR. MINISTRO FRANCISCO FALCÃO (Relator):

O recurso não merece provimento.

A jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça é uníssona no sentido de que é devida a contribuição previdenciária sobre o décimo terceiro salário proporcional ao aviso prévio, em virtude da natureza remuneratória da parcela ora em apreço, senão vejamos:

PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO INTERNO. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO PROPORCIONAL AO AVISO PRÉVIO INDENIZADO. INCIDÊNCIA.
1. As Turmas que integram a Primeira Seção do STJ sedimentaram a orientação de que"embora o Superior Tribunal de Justiça tenha consolidado jurisprudência no sentido de que não incide contribuição previdenciária sobre os valores pagos a título de aviso prévio indenizado, por não se tratar de verba salarial, relativamente à incidência da exação sobre o décimo terceiro salário proporcional no aviso prévio indenizado, prevalece o entendimento firmado em sede de recurso repetitivo, de que o décimo terceiro salário (gratificação natalina) integra o salário de contribuição para fins de incidência de contribuição previdenciária"(AgRg nos EDcl nos EDcl no REsp 1379550⁄RS, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, DJe 13⁄04⁄2015).
2. Agravo interno desprovido.
(AgInt no REsp 1.420.490⁄RS, Rel. Ministro GURGEL DE FARIA, PRIMEIRA TURMA, julgado em 11⁄10⁄2016, DJe 16⁄11⁄2016).
PROCESSUAL CIVIL. TRIBUTÁRIO. VIOLAÇÃO DO ART. 489, § 1º, DO CPC⁄2015 INEXISTENTE. DECISÃO FUNDAMENTADA EM PACÍFICA JURISPRUDÊNCIA DO STJ. ENTENDIMENTO CONTRÁRIO AO INTERESSE PARTE.
1. Ao contrário do que aduzem os agravantes, a decisão objurgada é clara o consignar que a jurisprudência do STJ é remansosa no sentido de que o décimo terceiro salário (gratificação natalina) reveste-se de caráter remuneratório, o que legitima a incidência de contribuição previdenciária sobre tal rubrica, seja ela paga integralmente ou proporcionalmente.
2. O fato de o aviso prévio indenizado configurar verba reparatória não afasta o caráter remuneratório do décimo terceiro incidente sobre tal rubrica, pois são parcelas autônomas e de natureza jurídica totalmente diversas, autorizando a incidência da contribuição previdenciária sobre esta e afastando a incidência sobre aquela. Inúmeros precedentes.
3. Se os fundamentos do acórdão recorrido não se mostram suficientes ou corretos na opinião do recorrente, não quer dizer que eles não existam. Não se pode confundir ausência de motivação com fundamentação contrária aos interesses da parte, como ocorreu na espécie. Violação do art. 489, § 1º, do CPC⁄2015 não configurada.
Agravo interno improvido.
(AgInt no REsp 1.584.831⁄CE, Rel. Ministro HUMBERTO MARTINS, SEGUNDA TURMA, julgado em 14⁄6⁄2016, DJe 21⁄6⁄2016).

O Superior Tribunal de Justiça tem jurisprudência firme no sentido de que a contribuição previdenciária patronal incide sobre o adicional de insalubridade e sobre o adicional de transferência. Vejam-se os precedentes:

TRIBUTÁRIO. AGRAVO INTERNO NO RECURSO ESPECIAL. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA PATRONAL. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E TRANSFERÊNCIA. INCIDÊNCIA. COMPENSAÇÃO. ANTES DO TRÂNSITO EM JULGADO. IMPOSSIBILIDADE.
1. Esta Corte de Justiça já firmou entendimento de que os adicionais de insalubridade e de transferência , por integrar o conceito de remuneração, estão sujeitos à incidência de contribuição previdenciária. Precedentes.
[...]
4. Agravo interno a que se nega provimento (AgInt no REsp 1.599.263⁄SC, Rel. Ministro OG FERNANDES, SEGUNDA TURMA, julgado em 4⁄10⁄2016, DJe de 11⁄10⁄2016).
PROCESSUAL CIVIL. TRIBUTÁRIO. AGRAVO INTERNO NO RECURSO ESPECIAL. CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL DE 2015. APLICABILIDADE. ARGUMENTOS INSUFICIENTES PARA DESCONSTITUIR A DECISÃO ATACADA. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. TERÇO CONSTITUCIONAL DE FÉRIAS. AVISO PRÉVIO INDENIZADO. VALOR PAGO PELO EMPREGADOR REFERENTE AOS QUINZE DIAS DE AFASTAMENTO DO EMPREGADO POR DOENÇA OU ACIDENTE. NÃO INCIDÊNCIA. SALÁRIOS MATERNIDADE E PATERNIDADE. INCIDÊNCIA. MATÉRIA DECIDIDA EM RECURSO ESPECIAL SUBMETIDO À SISTEMÁTICA DO ART. 543-C DO CPC. REMUNERAÇÃO DE FÉRIAS GOZADAS. ADICIONAL NOTURNO. ADICIONAL DE PERICULOSIDADE. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. ADICIONAL DE TRANSFERÊNCIA. NATUREZA REMUNERATÓRIA. AFASTAMENTO ESPORÁDICO DO EMPREGADO. FALTA ABONADA. INCIDÊNCIA DO TRIBUTO. APLICAÇÃO DA SÚMULA N. 83⁄STJ.
I - Consoante o decidido pelo Plenário desta Corte na sessão realizada em 09.03.2016, o regime recursal será determinado pela data da publicação do provimento jurisdicional impugnado. Assim sendo, in casu , aplica-se o Código de Processo Civil de 2015.
II - Esta Corte, ao julgar o Recurso Especial n. 1.230.957⁄RS, submetido ao rito do art. 543-C do Código de Processo Civil de 1973, firmou entendimento segundo o qual não incide a contribuição previdenciária sobre o terço constitucional de férias (gozadas e⁄ou indenizadas), aviso prévio indenizado, bem como sobre o valor pago pelo empregador, nos 15 (quinze) primeiros dias de afastamento do empregado, por doença ou acidente, incidindo, por outro lado, em relação ao salário maternidade e salário paternidade.
III - E pacífico o entendimento no Superior Tribunal de Justiça segundo o qual incide a contribuição previdenciária sobre o pagamento de férias gozadas, adicionais noturno, de periculosidade, de insalubridade e de transferência , bem como os valores recebidos a título de horas extras, diante da natureza remuneratória das mencionadas verbas.
[...]
VII - Agravo Interno improvido (AgInt no REsp 1.596.197⁄PR, Rel. Ministra REGINA HELENA COSTA, PRIMEIRA TURMA, julgado em 22⁄9⁄2016, DJe de 7⁄10⁄2016).
TRIBUTÁRIO. AGRAVO INTERNO NO AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E DE TRANSFERÊNCIA. INCIDÊNCIA.
1. É assente a jurisprudência desta Corte no sentido de que incide Contribuição Previdenciária sobre os adicionais de insalubridade e transferência , por possuírem natureza remuneratória. Precedentes: AgInt no REsp 1564543⁄RS, Rel. Min. Gurgel de Faria, Primeira Turma, DJe 28⁄04⁄2016; AgInt no REsp 1582779⁄SC, Rel. Min. Humberto Martins, Segunda Turma, DJe 19⁄04⁄2016.
2. Agravo interno não provido (AgInt no AgRg no AREsp 778.581⁄AC, Rel. Ministro BENEDITO GONÇALVES, PRIMEIRA TURMA, julgado em 15⁄9⁄2016, DJe de 26⁄9⁄2016).

Na mesma esteira, esta Corte Superior tem jurisprudência firmada quanto à incidência da contribuição previdenciária patronal sobre os adicionais de horas extras, noturno e de periculosidade, senão vejamos:

TRIBUTÁRIO. AGRAVO INTERNO NO RECURSO ESPECIAL. ALEGAÇÃO DE VIOLAÇÃO DO ART. 535 DO CPC. DEFICIÊNCIA NA SUA FUNDAMENTAÇÃO. SÚMULA 284⁄STF. CDA. NULIDADE. VERIFICAÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. SÚMULA 7⁄STJ. REDIRECIONAMENTO. SÚMULA 435⁄STJ. ANÁLISE PROBATÓRIA. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS. SALÁRIO-MATERNIDADE E FÉRIAS GOZADAS. INCIDÊNCIA. TAXA SELIC. APLICAÇÃO. ACÓRDÃO COM NÍTIDO CONTORNO CONSTITUCIONAL. ANÁLISE. IMPOSSIBILIDADE.
[...]
5. A Primeira Seção desta Corte, em recurso repetitivo, consolidou o posicionamento pela incidência da contribuição previdenciária, a cargo da empresa, sobre os valores pagos a título de salário-maternidade e salário-paternidade, horas extras e os adicionais de periculosidade e noturno.
6. É pacífica a orientação da Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça segundo a qual incide contribuição previdenciária patronal no pagamento de férias gozadas.
[...]
8. Agravo interno a que se nega provimento.
(AgInt no REsp 1.595.273⁄SC, Rel. Ministro OG FERNANDES, SEGUNDA TURMA, julgado em 6⁄10⁄2016, DJe de 14⁄10⁄2016).
TRIBUTÁRIO. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA A CARGO DA EMPRESA. DISCUSSÃO SOBRE A INCIDÊNCIA OU NÃO SOBRE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE E DE TRANSFERÊNCIA.
1. A questão da incidência de contribuição previdenciária patronal, sobre os valores pagos a título de adicional noturno, de periculosidade e de horas extras, já foi objeto de julgamento, no Recurso Especial 1.358.281⁄SP, submetido ao rito do art. 543-C do CPC, estando, assim, plenamente pacificada no STJ, que concluiu que tais verbas detêm caráter remuneratório, sujeitando-se, portanto, à incidência de contribuições previdenciárias.
2. Entende o Superior Tribunal de Justiça que o adicional de transferência previsto no art. 469, § 3º, da CLT tem natureza salarial, admitindo-se a incidência da contribuição previdenciária.
3. Agravo Interno não provido.
(AgInt no REsp 1.594.929⁄SC, Rel. Ministro HERMAN BENJAMIN, SEGUNDA TURMA, julgado em 6⁄10⁄2016, DJe de 17⁄10⁄2016).
PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA. SALÁRIO-MATERNIDADE, ADICIONAL DE HORAS EXTRAS, NOTURNO, DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE. INCIDÊNCIA. DISSÍDIO JURISPRUDENCIAL. MERA TRANSCRIÇÃO DE EMENTAS. SÚMULA 83 DO STJ.
[...]
2. No julgamento de recursos especiais representativos da controvérsia (art. 543-C do CPC⁄73), a Primeira Seção desta Corte Superior firmou entendimento de que a contribuição previdenciária incide sobre os adicionais noturno e de periculosidade e as horas extras, bem como o seu respectivo adicional (REsp 1.358.281⁄SP, Rel. Ministro Herman Benjamin, DJe de 05⁄12⁄2014) e sobre salário-maternidade (REsp 1.230.957⁄RS, Rel. Ministro MAURO CAMPBELL MARQUES, DJe de 18⁄03⁄2014).
[...]
4. À vista do entendimento consolidado nesta Corte, aplica-se a Súmula 83 do STJ, inclusive quando o recurso é interposto exclusivamente com fundamento na alínea a do permissivo constitucional.
5. Agravo regimental desprovido.
(AgRg no REsp 1.514.976⁄PR, Rel. Ministro GURGEL DE FARIA, PRIMEIRA TURMA, julgado em 21⁄6⁄2016, DJe de 5⁄8⁄2016).

Assim, incide sobre estas matérias o enunciado n. 83 da Súmula do STJ, segundo o qual:"Não se conhece do recurso especial pela divergência, quando a orientação do tribunal se firmou no mesmo sentido da decisão recorrida".

Ante o exposto, não havendo razões para modificar a decisão recorrida, nego provimento ao agravo interno.

É o voto.

CERTIDÃO DE JULGAMENTO
SEGUNDA TURMA
AgInt no
Número Registro: 2017⁄0082320-2
REsp 1.666.328 ⁄ MT
Números Origem: 00070309720144013600 21000044 70309720144013600
EM MESA JULGADO: 21⁄11⁄2017
Relator
Exmo. Sr. Ministro FRANCISCO FALCÃO
Presidente da Sessão
Exmo. Sr. Ministro FRANCISCO FALCÃO
Subprocurador-Geral da República
Exmo. Sr. Dr. JOSÉ ELAERES MARQUES TEIXEIRA
Secretária
Bela. VALÉRIA ALVIM DUSI
AUTUAÇÃO
RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL
RECORRIDO : MULTIVENDAS COM & DIST DE DESCARTAVEIS LTDA - EPP
AGRAVANTE : MULTIVENDAS COM & DIST DE DESCARTAVEIS LTDA - EPP
ADVOGADOS : NELSON WILIANS FRATONI RODRIGUES - SP128341
RAFAEL SGANZERLA DURAND - SP211648
RODRIGO OTAVIO ACCETE BELINTANI E OUTRO (S) - SP252084A
AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL
ASSUNTO: DIREITO TRIBUTÁRIO - Contribuições - Contribuições Previdenciárias - Contribuição sobre a folha de salários
AGRAVO INTERNO
AGRAVANTE : MULTIVENDAS COM & DIST DE DESCARTAVEIS LTDA - EPP
ADVOGADOS : NELSON WILIANS FRATONI RODRIGUES - SP128341
RAFAEL SGANZERLA DURAND - SP211648
RODRIGO OTAVIO ACCETE BELINTANI E OUTRO (S) - SP252084A
AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL
CERTIDÃO
Certifico que a egrégia SEGUNDA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:
"A Turma, por unanimidade, negou provimento ao agravo interno, nos termos do voto do (a) Sr (a). Ministro (a)-Relator (a)."
Os Srs. Ministros Herman Benjamin, Mauro Campbell Marques e Assusete Magalhães votaram com o Sr. Ministro Relator.
Ausente, justificadamente, o Sr. Ministro Og Fernandes.

Documento: 1657128 Inteiro Teor do Acórdão - DJe: 27/11/2017
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/861159365/agravo-interno-no-recurso-especial-agint-no-resp-1666328-mt-2017-0082320-2/inteiro-teor-861159530

Informações relacionadas

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região
Jurisprudênciahá 3 anos

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região TRT-2: 1000850-95.2018.5.02.0205 SP

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região
Jurisprudênciahá 5 anos

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região TRT-2 - Recurso Ordinário Trabalhista: ROT 1001361-87.2014.5.02.0317 SP

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região
Jurisprudênciahá 2 anos

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região TRT-4 - Recurso Ordinário Trabalhista: ROT 0020392-36.2016.5.04.0204

Tribunal Superior do Trabalho
Jurisprudênciahá 9 anos

Tribunal Superior do Trabalho TST - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA: AIRR 681-40.2010.5.04.0015 681-40.2010.5.04.0015

Tribunal Superior do Trabalho
Jurisprudênciaano passado

Tribunal Superior do Trabalho TST: Ag 11155-36.2017.5.15.0042