jusbrasil.com.br
24 de Setembro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça
ano passado
Detalhes da Jurisprudência
Publicação
DJ 29/06/2020
Relator
Ministro ANTONIO SALDANHA PALHEIRO
Documentos anexos
Decisão MonocráticaSTJ_CC_172653_8a602.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão Monocrática

CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 172653 - SC (2020/0129956-0)

RELATOR : MINISTRO ANTONIO SALDANHA PALHEIRO

SUSCITANTE : JUÍZO DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DE

BLUMENAU - SC

SUSCITADO : JUÍZO DE DIREITO DA 1A VARA DESCENTRALIZADA DO

JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DE CURITIBA - PR

INTERES. : GIOVANNA WOOD DE BENEDETTO

ADVOGADO : KELLI GONÇALVES DA SILVA MACHADO - PR078020

INTERES. : JULIA HELOISA SCHORK

DECISÃO

Trata-se de conflito negativo de competência estabelecido entre o JUÍZO DE

DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DE BLUMENAU/SC e o JUÍZO DE

DIREITO DA 1ª VARA DESCENTRALIZADA DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DE

CURITIBA/PR.

Consta dos autos ter sido ofertada queixa-crime para apurar os crimes de

injúria e de difamação supostamente praticados via whatsapp e Instagram.

A queixa-crime foi ajuizada na Comarca de Curitiba/PR, onde reside a

querelante. Esse juízo, no entanto, declarou-se incompetente, por concluir que o juízo

competente era aquele do local onde "se encontra o responsável pela veiculação e

divulgação" (e-STJ fl. 143).

O Juízo de Blumenau (SC), por sua vez, declarou-se igualmente

incompetente e suscitou o presente conflito de competência por entender que a

competência era do Juízo do local onde a vítima havia tomado conhecimento das

ofensas (Curitiba).

O Ministério Público Federal opinou pela competência do Juízo suscitado,

onde a vítima tomou conhecimento do conteúdo das mensagens (e-STJ fls. 177/182):

CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. JUSTIÇA ESTADUAL x

JUSTIÇA ESTADUAL. CRIMES CONTRA A HONRA PRATICADOS POR

MEIO DO WHATSAPP E DO FACEBOOK. MENSAGENS PRIVADAS.

COMPETÊNCIA.

LOCAL DA CONSUMAÇÃO DOS DELITOS. LOCAL ONDE A VÍTIMA

TOMOU CONHECIMENTO DAS OFENSAS.

PRECEDENTE DO STJ. PARECER PELO CONHECIMENTO DO CONFLITO PARA DECLARAR A COMPETÊNCIA DO JUÍZO SUSCITADO.

É, em síntese, o relatório.

Decido.

Cuida-se de incidente instaurado entre juízes vinculados a Tribunais diversos, razão pela qual, nos termos do art. 105, I, "d", da Constituição Federal, conheço do conflito.

A competência no âmbito dos juizados especiais criminais é estabelecida pelo lugar em que foi praticada a infração penal, nos termos do art. 63 da Lei n. 9.099/1995.

Por sua vez, a competência no processo penal, de regra, é estabelecida ratione loci, ou seja, em razão do local em que se consuma a infração penal ou, no caso de tentativa, onde se realizar o último ato de execução, nos termos do disposto no art. 70 do Código de Processo Penal.

Os crimes de injúria e de difamação consumam-se, respectivamente, no momento em que vítima e terceiros tomam conhecimento das ofensas proferidas. A propósito, cita-se: NUCCI, Guilherme de Souza. Código Penal Comentado. 14. ed. rev. atual. e ampl. Rio de Janeiro: Forense, 2014, p. 748 e 753.

In casu, a querelada, na cidade de Blumenau (SC), utilizou-se dos aplicativos eletrônicos whatsapp e Instagram para proferir ofensas contra a vítima, que reside em Curitiba (PR).

Assim, a consumação de eventual delito contra a honra da querelante consumou-se com o recebimento das mensagens eletrônicas em Curitiba (PR).

Registre-se que não se aplica, ao presente caso, o entendimento desta Corte quanto aos crimes contra a honra praticados pela internet, uma vez que, embora a rede mundial de computadores tenha sido utilizada para o envio das mensagens eletrônicas, a conversa não ficou acessível a outros usuários, tendo ficado restrita ao âmbito privado.

Ante o exposto, conheço do conflito para declarar competente o Juízo suscitado.

Publique-se. Comunique-se.

Brasília, 25 de junho de 2020.

Ministro ANTONIO SALDANHA PALHEIRO

Relator

Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/871746590/conflito-de-competencia-cc-172653-sc-2020-0129956-0/decisao-monocratica-871746600