jusbrasil.com.br
24 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça
há 14 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
T5 - QUINTA TURMA
Publicação
DJ 17/09/2007 p. 328
Julgamento
16 de Agosto de 2007
Relator
Ministra JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)
Documentos anexos
Inteiro TeorHC_81725_GO_1271593391131.pdf
Certidão de JulgamentoHC_81725_GO_1271593391133.pdf
Relatório e VotoHC_81725_GO_1271593391132.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)
IMPETRANTE : PALMESTRON FRANCISCO CABRAL
IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS
PACIENTE : NILSON CÂNDIDO MOREIRA
EMENTA
CRIMINAL. HC. SUBSTITUIÇAO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE POR RESTRITIVA DE DIREITOS. WRIT NAO CONHECIDO NA ORIGEM. SUPRESSAO DE INSTÂNCIA. INCOMPETÊNCIA DESTA CORTE. ORDEM NAO CONHECIDA.
1- Hipótese em que a matéria de fundo não foi objeto de debate e decisão pelo Tribunal a quo , tampouco pelo Juízo singular, sobressaindo a incompetência desta Corte para o seu exame, sob pena de indevida supressão de instância.
2- Habeas corpus não conhecido.
ACÓRDAO
Vistos, relatados e discutidos os autos em que são partes as acima indicadas, acordam os Ministros da QUINTA TURMA do Superior Tribunal de Justiça, por unanimidade, não conhecer do pedido.
Os Srs. Ministros Felix Fischer, Laurita Vaz, Arnaldo Esteves Lima e Napoleão Nunes Maia Filho votaram com a Sra. Ministra Relatora.
Brasília (DF), 16 de agosto de 2007 (Data do Julgamento).
MINISTRA JANE SILVA
(DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)
Relatora
RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)
IMPETRANTE : PALMESTRON FRANCISCO CABRAL
IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS
PACIENTE : NILSON CÂNDIDO MOREIRA
RELATÓRIO
A EXMª. SRª. MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)(Relatora):
Trata-se de habeas corpus contra acórdão do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, que não conheceu da ordem anteriormente impetrada em favor de NILSON CÂNDIDO MOREIRA.
O paciente foi condenado à pena de 03 anos de reclusão, em regime integralmente fechado, pela prática do delito descrito no art. 12, caput, da Lei n.º 6.368/76.
Cumpridas as exigências legais, a defesa requereu ao réu a progressão para regime mais brando, tendo o Juízo singular deferido o pedido para determinar que o acusado passasse a cumprir sua pena no regime semi-aberto.
Posteriormente, o paciente impetrou habeas corpus perante o Tribunal a quo , pugnando pela substituição de sua reprimenda corporal por pena restritiva de direitos.
A Corte Estadual não conheceu da ordem, tendo em vista não ter a defesa aduzido o pedido em 1º grau de jurisdição (fls. 42/45).
Daí a presente impetração, na qual se requer a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos, sustentando-se ter o acusado cumprido os requisitos legais necessários para tanto.
A liminar foi indeferida pelo então Relator Ministro Gilson Dipp à fl. 36.
A Subprocuradoria-Geral da República opinou pelo não conhecimento da ordem (fls. 57/60).
Relatados, em mesa para julgamento.
RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)
IMPETRANTE : PALMESTRON FRANCISCO CABRAL
IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS
PACIENTE : NILSON CÂNDIDO MOREIRA
VOTO
A EXMª. SRª. MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)(Relatora): Examinei os autos e verifiquei que o Juízo singular, verificando o preenchimento dos requisitos legais, concedeu ao réu a progressão para o regime semi-aberto.
Posteriormente, a defesa pugnou pela substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos perante o Tribunal a quo .
A Corte Estadual, todavia, ao apreciar a ordem originária, não examinou o mérito da impetração, sob o argumento de não ter a defesa aduzido o pedido em 1º grau de jurisdição (fls. 42/47).
Assim, a análise da matéria, por este Tribunal, configuraria indevida supressão de instância.
Diante do exposto, não conheço da impetração.
É como voto.
CERTIDAO DE JULGAMENTO
QUINTA TURMA
Número Registro: 2007/0089788-3 HC 81725 / GO
MATÉRIA CRIMINAL
Números Origem: 200601453802 200700725517 285041
EM MESA JULGADO: 16/08/2007
Relatora
Exma. Sra. Ministra JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG)
Presidente da Sessão
Exmo. Sr. Ministro ARNALDO ESTEVES LIMA
Subprocuradora-Geral da República
Exma. Sra. Dra. HELENITA AMÉLIA G. CAIADO DE ACIOLI
Secretário
Bel. LAURO ROCHA REIS
AUTUAÇAO
IMPETRANTE : PALMESTRON FRANCISCO CABRAL
IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS
PACIENTE : NILSON CÂNDIDO MOREIRA
ASSUNTO: Penal - Leis Extravagantes - Crimes de Tráfico e Uso de Entorpecentes (Lei 6.368/76 e DL 78.992/76) - Tráfico
CERTIDAO
Certifico que a egrégia QUINTA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:
"A Turma, por unanimidade, não conheceu do pedido."
Os Srs. Ministros Felix Fischer, Laurita Vaz, Arnaldo Esteves Lima e Napoleão Nunes Maia Filho votaram com a Sra. Ministra Relatora.
Brasília, 16 de agosto de 2007
LAURO ROCHA REIS
Secretário

Documento: 712774 Inteiro Teor do Acórdão - DJ: 17/09/2007
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/8884766/habeas-corpus-hc-81725-go-2007-0089788-3/inteiro-teor-13992113

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 14 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS : HC 0089788-92.2007.3.00.0000 GO 2007/0089788-3