jusbrasil.com.br
25 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 409812 ES 2013/0343431-7

Superior Tribunal de Justiça
há 8 anos

Detalhes da Jurisprudência

Publicação

DJ 14/03/2014

Relator

Ministro ARI PARGENDLER

Documentos anexos

Decisão MonocráticaSTJ_ARESP_409812_04bc5.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 409.812 - ES (2013/0343431-7) RELATOR : MINISTRO ARI PARGENDLER AGRAVANTE : MUNICÍPIO DE CARIACICA PROCURADOR : BIANKA CHRISTINE FAVORETTI E OUTRO (S) AGRAVADO : GRANITO CONCRETO LTDA ADVOGADO : CAETANO CORRÊA PEIXOTO ALVES E OUTRO (S) DECISÃO O recurso especial ataca acórdão proferido em juízo de retratação, nos moldes do art. 543-B, § 3º, do Código de Processo Civil pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo, assim ementado: "APELAÇÃO CÍVEL - ISSQN - DEDUÇÃO DE VALORES UTILIZADOS NO SERVIÇO DE CONCRETAGEM - REPERCUSSÃO GERAL CONHECIDA E JULGADO O MÉRITO - INTERPOSIÇÃO DE RECURSO EXTRAORDINÁRIO - JUÍZO DE RETRATAÇÃO - POSSIBILIDADE DE DEDUÇÃO - POSICIONAMENTO DA CÂMARA RECONSIDERADO - APELO PROVIDO. Diante do reconhecimento da repercussão geral e o julgamento do mérito do RE nº 603.497/MG pelo excelso Supremo Tribunal Federal, ficou assentada a possibilidade de dedução da base de cálculo do ISSQN dos materiais utilizados na construção civil. Deve ser retratado o acórdão desta Câmara que decidiu em sentido contrário ao julgamento do RE nº 603.497/MG, nos moldes do art. 543-B do CPC. Apelo conhecido e provido" (e-stj, fl. 297). As razões do recurso alegam violação do art. da Lei Complementar nº 116, de 2003, ao fundamento de que "a decisão considerada de repercussão geral pelo Supremo Tribunal Federal não transitou em julgado e encontra-se em conflito com a jurisprudência pacificada do Superior Tribunal de Justiça, no sentido de que a prestação de serviços de concretagem e da prestação de serviços da construção civil não se permite deduzir da base de cálculo do imposto os materiais empregados na obra" (e-stj, fl. 330). O acórdão recorrido está conformado à jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça que, após o julgamento do RE nº 603.497, MG, passou a seguir o entendimento do Supremo Tribunal Federal quanto à legalidade da dedução do custo dos materiais empregados na construção civil da base de cálculo do imposto sobre serviços, incluído o serviço de concretagem. Nesse sentido, confiram-se os seguintes julgados: "AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. TRIBUTÁRIO. ISS. CONSTRUÇÃO CIVIL. CONCRETAGEM. MATERIAIS EMPREGADOS. DEDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO. POSSIBILIDADE. RE 603.497/MG, REL. MIN. ELLEN GRACIE (DJE 16.09.2010). AGRAVO REGIMENTAL DO MUNICÍPIO DESPROVIDO. 1. O STF, em Recurso Extraordinário em que reconhecida a repercussão geral ( RE 603.497/MG, Rel. Min. ELLEN GRACIE), firmou o entendimento no sentido da possibilidade da dedução da base de cálculo do ISS dos materiais empregados na construção civil. 2. Considerando a eficácia vinculativa da jurisprudência do STF sobre o tema, especialmente quando reconhecida a repercussão geral, este STJ passou a adotar o mesmo entendimento. 3. Agravo regimental do Município de Serra desprovido" (AgRg no AREsp nº 155.292, ES, relator Ministro Napoleão Nunes Maia Filho, DJe de 22.10.2012). "TRIBUTÁRIO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO. ISSQN. SERVIÇO DE CONCRETAGEM. MATERIAIS. DEDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO. POSSIBILIDADE. AGRAVO NÃO PROVIDO. 1. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar o RE 603.497/MG, com repercussão geral, reiterou seu entendimento no sentido de que é possível deduzir da base de cálculo do ISS o valor dos materiais utilizados na prestação de serviço de construção civil. 2. Agravo regimental não provido" (AgRg no Ag nº 1.422.997, RJ, relator Ministro Arnaldo Esteves Lima, DJe de 28.10.2011). Nego, por isso, provimento ao agravo. Intimem-se. Brasília, 11 de março de 2014. MINISTRO ARI PARGENDLER Relator
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/891560183/agravo-em-recurso-especial-aresp-409812-es-2013-0343431-7