jusbrasil.com.br
25 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 38957 SP 2011/0107042-2

Superior Tribunal de Justiça
há 10 anos
Detalhes da Jurisprudência
Processo
AREsp 38957 SP 2011/0107042-2
Publicação
DJ 02/10/2012
Relator
Ministro ANTONIO CARLOS FERREIRA
Documentos anexos
Decisão MonocráticaSTJ_ARESP_38957_eea9b.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 38.957 - SP (2011/0107042-2) RELATOR : MINISTRO ANTONIO CARLOS FERREIRA AGRAVANTE : PAN PRODUTOS ALIMENTÍCIOS S/A ADVOGADO : PATRÍCIA MARIA MENDONÇA DE ALMEIDA E OUTRO (S) AGRAVADO : ADAUTO GOMES DA SILVA ADVOGADO : GUALTER CARVALHO FILHO DECISÃO Trata-se de agravo nos próprios autos ( CPC, art. 544) contra decisão que negou seguimento a recurso especial sob o fundamento de incidência das Súmulas ns. 7/STJ e 284/STF (e-STJ fls. 499/500). A agravante alega o preenchimento dos requisitos para o conhecimento do recurso (e-STJ fls. 507/516). O acórdão do TJSP está assim ementado (e-STJ fl. 459): "INDENIZAÇÃO - Danos materiais e morais - procedência parcial - confirmação - material estranho dentro de barra de chocolate - prova pericial - desrespeito aos direitos do consumidor - caracterização - dano à saúde ou à integralidade corporal - desnecessidade - mero aborrecimento - não configuração - critério de fixação do quantum da indenização - observados os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade - jurisprudência do Egrégio Superior Tribunal de Justiça - recurso não provido". Os embargos de declaração foram acolhidos para fixar o termo inicial dos juros de mora e da correção monetária (e-STJ fl. 471). A recorrente, PAN PRODUTOS ALIMENTÍCIOS S.A., nas razões do recurso especial, fundamentado no art. 105, III, alíneas a e c, da CF, além da divergência jurisprudencial, aduz violação dos arts. 186 e 927 do CC/2002, diante da ausência de comprovação do dano moral e do nexo de causalidade, uma vez que os pedaços de borracha encontrados no chocolate não teriam sido mordidos, inexistindo prova do trauma odontológico alegado pelo autor. É o relatório. Decido. Conheço do agravo. A análise das razões apresentadas pela recorrente quanto à suficiência das provas da existência do dano moral e do nexo de causalidade demandaria o revolvimento do conjunto fático-probatório, o que é vedado em sede de recurso especial, ante o disposto na Súmula n. 7/STJ: "A pretensão de simples reexame de provas não enseja recurso especial". Nesse sentido: "AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO. RESPONSABILIDADE CIVIL. INDENIZAÇÃO POR MORTE DE IRMÃO EM ACIDENTE DE TRÂNSITO. CABIMENTO. VIOLAÇÃO AOS ARTS. 333, I, DO CPC e 927 DO CC. INOCORRÊNCIA. DANO MORAL. VALOR DA CONDENAÇÃO. RAZOABILIDADE. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 7/STJ. AGRAVO REGIMENTAL NÃO PROVIDO. 1. No caso, não se trata de errônea valoração da prova. Na realidade, o que se pretende é que se colha das provas produzidas nova conclusão, incabível na via especial por incidência da Súmula 7/STJ. (...) 4. Agravo regimental improvido" . ( AgRg no Ag n. 1.255.755/RJ, Relator Ministro LUIS FELIPE SALOMÃO, QUARTA TURMA, julgado em 10/5/2011, DJe 13/5/2011). "AGRAVO REGIMENTAL. AGRAVO DE INSTRUMENTO. COMERCIAL E PROCESSO CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. INOCORRÊNCIA. DEFICIÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO. INEXISTÊNCIA. REGRA DO ÔNUS DA PROVA. REEXAME DO ACERVO FÁTICO-PROBATÓRIO. INADMISSIBILIDADE. SÚMULA 07/STJ. AÇÃO REVOCATÓRIA. FALÊNCIA. PERÍODO SUSPEITO. DAÇÃO EM PAGAMENTO DE IMÓVEL. DÍVIDA VENCIDA E EXIGÍVEL. INOBSERVÂNCIA DE DISPOSIÇÃO CONTRATUAL. INEFICÁCIA DO NEGÓCIO JURÍDICO. (...) 2. A aferição do êxito do autor ou do réu em comprovar suas alegações (art. 333 do CPC); ou seja, se cumpriu seu ônus probatório, demanda o reexame de fatos e provas, o que é inadmissível na via especial, a teor da Súmula 7 do STJ. (...) 4. Agravo regimental a que se nega provimento". ( AgRg no Ag n. 489.545/RJ, Relator Ministro VASCO DELLA GIUSTINA, Desembargador convocado do TJRS, TERCEIRA TURMA, julgado em 27/10/2009, DJe 6/11/2009). O Tribunal a quo entendeu configurado o dano moral e destacou que "o boletim de análise emitido pelo Instituto Adolfo Lutz dá a necessária verossimilhança à versão do autor, pois indica a existência de três pedaços de borracha na barra de chocolate por ele adquirida e parcialmente consumida (fls. 68). E pouco importa que o material estranho estivesse intacto, uma vez que a borracha é resistente ao impacto" (e-STJ fl. 460). Rever esse entendimento demandaria o revolvimento da matéria fática, o que é vedado em sede de recurso especial. Diante do exposto, CONHEÇO do agravo e NEGO-LHE PROVIMENTO, nos termos do art. 544, § 4º, II, a, do CPC. Publique-se e intimem-se. Brasília-DF, 21 de setembro de 2012. Ministro ANTONIO CARLOS FERREIRA Relator
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/897124578/agravo-em-recurso-especial-aresp-38957-sp-2011-0107042-2

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 4 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO INTERNO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AgInt no AREsp 1272323 SP 2018/0075079-8

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 8 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AgRg no AREsp 409048 RJ 2013/0342149-0

Wander Fernandes, Advogado
Artigoshá 3 anos

Alimento contaminado, estragado, impróprio para o consumo e a indenização por dano moral sob a ótica do STJ.