jusbrasil.com.br
28 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 603774 SP 2020/0198191-7

Superior Tribunal de Justiça
há 2 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

HC 603774 SP 2020/0198191-7

Publicação

DJ 13/08/2020

Relator

Ministro JOEL ILAN PACIORNIK

Documentos anexos

Decisão MonocráticaSTJ_HC_603774_01c67.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Decisão

HABEAS CORPUS Nº 603774 - SP (2020/0198191-7) RELATOR : MINISTRO JOEL ILAN PACIORNIK IMPETRANTE : PAULO ROGERIO COMPIAN CARVALHO ADVOGADO : PAULO ROGÉRIO COMPIAN CARVALHO - SP217672 IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO PACIENTE : SAMUEL PERES DE OLIVEIRA (PRESO) INTERES. : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO Cuida-se de habeas corpus, com pedido liminar, impetrado em benefício de SAMUEL PERES DE OLIVEIRA , contra acórdão do TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - RUA DA GLÓRIA no julgamento do HC n. 2156444-32.2020.8.26.0000 . Extrai-se dos autos que o paciente foi preso em 02/10/2019, sobrevindo sentença que o condenou à pena de 5 anos de reclusão, em regime fechado, como incurso no art. 33 da Lei n. 11.343/06 (tráfico de drogas). Foi negado o direito de apelar em liberdade. Irresignada, a defesa impetrou habeas corpus perante o Tribunal de origem, o qual denegou a ordem nos termos do acórdão que restou assim ementado: Habeas corpus. TRÁFICO DE DROGAS. Pretendido apelo em liberdade. Indeferimento fundamentado. Paciente que permaneceu preso durante o processo. Necessidade de manutenção da custódia para a garantia da ordem pública. A pandemia de COVID-19 não autoriza a liberação automática de presos pelo perigo de contágio. Ordem denegada. No presente writ alega que há flagrante ilegalidade na manutenção da prisão, cuja fundamentação é genérica e baseada tão somente na gravidade abstrata do delito. Assinala que não se trata de quantidade de entorpecente que evidencie maior reprovação do delito e assevera que se trata de paciente com condições pessoais favoráveis a aguardar o julgamento do recurso em liberdade. Pretende, em liminar e no mérito, a revogação da prisão, com expedição de alvará de soltura. É o relatório. Decido. Diante da hipótese de habeas corpus substitutivo de recurso próprio, a impetração sequer deveria ser conhecida segundo orientação jurisprudencial do Supremo Tribunal Federal e do próprio Superior Tribunal de Justiça. Contudo, considerando as alegações expostas na inicial, razoável o processamento do feito para verificar a existência de eventual constrangimento ilegal. No caso, ao menos em juízo perfunctório, não é possível identificar de plano o constrangimento ilegal aventado ou, ainda, a presença do fumus boni iuris e do periculum in mora, elementos autorizadores para a concessão da tutela de urgência. Confundindo-se com o mérito, a pretensão deve ser submetida à análise do órgão colegiado, oportunidade na qual poderá ser feito exame aprofundado das alegações relatadas após manifestação do Parquet. Por tais razões, indefiro o pedido de liminar. Oficie-se à autoridade coatora, bem como ao juízo de primeiro grau a fim de solicitar-lhes as informações pertinentes, a serem prestadas, preferencialmente, por meio eletrônico, e o envio de senha para acesso ao processo no site do Tribunal, se for o caso. Após, encaminhem-se os autos ao Ministério Público Federal para parecer. Publique-se. Intimem-se. Brasília, 10 de agosto de 2020. Joel Ilan Paciornik Relator
Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/920168718/habeas-corpus-hc-603774-sp-2020-0198191-7

Informações relacionadas

Guilherme de Souza Nucci, Juiz de Direito
Notíciashá 9 meses

[Criminal] Resumo do Informativo n° 709 do STJ

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 3 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 541447 SP 2019/0317697-1

Superior Tribunal de Justiça STJ - AgRg no HABEAS CORPUS: AgRg no HC 604707 SP 2020/0201774-7

Luiz Fernando Pereira Advocacia, Advogado
Artigoshá 2 anos

O Código de Processo Civil pode ser aplicado nas Ações Penais?

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 541447 SP 2019/0317697-1